Sociedade

Quatro mil e 700 crianças dos zero aos quatro anos frequentam este ano o ensino pré-escolar na província da Huíla, cifra que representa um aumento de 631 menores em relação a 2018.

dd

O facto foi dado a conhecer hoje (segunda-feira) à Angop no Lubango, pelo director provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC), Abel Chico Joaquim, à margem de abertura oficial do ano pré-escolar dos centros infantis e creches.

Deste número, segundo o responsável, estão crianças órfãs e abandonadas do Lar Otchio, da Aldeia SOS, do Lar Evangelho da Vida da irmã Bernadete, da pastoral da Criança, da comuna da Huíla (Lubango), Missão Católica N'gola (Caluquembe), Missão de Santiago do Sendi (Quipungo) do Lar do Tchivinguiro (Humpata) e da Missão do Sangueve e Bunjei (Chipindo).

Segundo ele, o processo de ensino em causa visa garantir o desenvolvimento integral e protecção das crianças.

Defendeu ser necessário que se faça maior investimento nas infra-estruturas escolares com os meios necessários para que a criança consiga aprender sem quaisquer sobressaltos.

“Os pais e encarregados de educação também devem fazer a sua parte em termos de educação e ensino, não deixando toda responsabilidade nas mãos dos educadores de infância", disse.

Dados estatísticos do INAC indicam que a Huíla possui 14 centros infantis públicos e 38 creches privadas.

TPA com Angop/EG

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo