Sociedade

Huíla conta com 13 novas escolas

dd

Escola em construção na localidade de Chiquila, na Lunda Sul

Foto: Quintas Benjamim / ANGOP

Escola em construção na localidade de Chiquila, na Lunda Sul

Foto: Quintas Benjamim / ANGOP

Dez mil e 920 alunos vão deixar de frequentar aulas ao ar livre no presente ano lectivo que inicia oficialmente a 31 do mês em curso, fruto da construção de 13 novas escolas de 12 salas cada, na província da Huíla.

As referidas escolas vão juntar-se qs mil e 835 existentes. A província conta com quatro mil e 103 turmas que, em 2018, tiveram aulas ao ar livre, das quais 843 no município do Lubango e o Quipungo com 464.
Os dados foram revelados nesta sexta-feira à Angop pela directora do gabinete provincial da Educação na Huíla, Paula Filomena Joaquim, afirmando que o Lubango beneficia de cinco estruturas e as demais estão nos municípios de Quilengues, Caluquembe, Jamba, Cuvango, Humpata, Chibia, Matala e Quipungo.
Em 2018,  339 mil e 840 crianças ficaram fora do sistema de ensino, tendo o Lubango 104 mil 353 desta cifra, devido a falta de escolas e de professores.

A província necessita, em função do número de alunos a estudarem ao ar livre e das crianças fora do sistema de ensino, no mínimo,  mil escolas de 12 salas e cinco mil e 732 professores para acrescer aos 17.965 existentes.

A previsão para o ano  2019 é matricular  816 mil e 326 alunos, repartidos para a iniciação (82.833), ensino primário (538.103), secundário do I ciclo (129.052), secundário no II ciclo (36.563), ensino de adultos (18.755), alunos com necessidades educativas especiais (2.043) e ainda no ensino privado (18.979).
Em 2018, foram matriculados 770.873 alunos, da iniciação, ensino primário, secundário do I ciclo e do II ciclo.
Conta com 1.835 escolas, correspondendo a 7.439 salas de aula.

TPA com Angop/EG

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo