Sociedade

Governo de Luanda alerta para casos de burla

dd

O Governo Provincial de Luanda (GPL) alertou os cidadãos a estarem vigilantes em relação as ofertas, de emprego e viaturas, feitas por indivíduos de má fé e que solicitam em contrapartida o depósito de quantias monetárias numa determinada conta bancária, para o expediente burocrático.

Segundo um comunicado do GPL que a Angop teve acesso hoje, sexta-feira, os indivíduos de má-fé e alheios aos serviços do GPL usam o  nome deste Governo para extorquir dinheiro a pessoas singulares e colectivas.

A nota refere que o Governo de Luanda declina qualquer responsabilidade sobre os actos desses burladores e alerta os cidadãos a estarem vigilantes em relação a ofertas do género, e exorta os lesados a denunciarem tais práticas às autoridades policiais.

” Imbuídos do espírito de obtenção do lucro fácil, estes cidadãos telefonam  para as suas vítimas e anunciam, em nome do Governo Provincial de Luanda, oferta de emprego e viaturas, e feito o depósito, tais indivíduos tomam-se incomunicáveis”, refere a nota.

Os burladores enganam os outros, com a pretensão de negócios estranhos, como intermediários na atribuição de recompensas de avultados valores monetários, viaturas ou empregos.

Na maior parte dos casos, indivíduos dizem trabalhar em instituições do Estado ou áreas petrolíferas e ligam para uma pessoa por eles escolhida como vítima que, por regra, conhecem o nome, ocupação e possuem outras informações adicionais.

Os burladores inventam uma história sobre sorteio e obtenção de prémios em que a vítima acredita, levando-a a depositar o dinheiro solicitado em determinado banco, mas vão reduzindo o valor caso a pessoa escolhida não tenha disponibilidade financeira exigida.

Em Junho deste ano, o Ministério do Interior confirmou a existência de grupos de malfeitores que têm se dedicado a burlar pessoas e empresas, com falsas promessas de concessão de prémios e solicitação de patrocínios.

Na altura, as autoridades angolanas referiram, em comunicado de imprensa, que muitos marginais centravam as suas acções na solicitação de patrocínios para a cobertura de actividades filantrópicas.

Para pôr cobro a esta situação, o Ministério do Interior alerta a todos que sejam notificados para esses fins para abordarem as instituições públicas referenciadas previamente e denunciarem ao Serviço de Investigação Criminal.

As autoridades prometeram dar resposta firme a todos que procuram fazer do crime o estilo de vida, apelando à população para colaborar na denúncia dos factos criminais, com destaque para os cidadãos portadores de armas de fogo ilegalmente.

De Janeiro a 15 de Dezembro de 2017, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) registou 1.096 casos de burla, na província de Luanda, 44 dos quais já foram julgados.

TPA com Angop/ AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo