Sociedade

COVID-19: Angolanos retidos em Portugal regressam hoje

dd

Foto: Lino Guimarães (Angop)

Foto: Lino Guimarães (Angop)

Os angolanos retidos nas cidades portuguesas do Porto e de Lisboa, impossibilitados de entrarem em Angola, por força do Decreto Legislativo Presidencial Provisório nº1/20 de 18 de Março, chegam neste sábado ao país, em dois voos adicionais deliberados para o efeito.

À luz desse diploma, estão suspensos, desde quarta-feira, todos os voos internacionais comerciais e privados de passageiros, interditas de circular pessoas nas fronteiras terrestres, e proibida a atracagem e o desembarque de navios de passageiros e respectivas tripulações.

De acordo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que falou neste dia em conferência de imprensa, devido aos dois casos positivos detectados, todos os passageiros  que chegarem nestes voos serão transportados do Aeroporto imediatamente para quarentena institucional obrigatória.

Para o efeito, explicou, o Governo e a Comissão Multissectorial para Resposta à Pandemia Covid-19 prepararam condições para receber este grupo de passageiros e outro que chegou esta manhã de Joanesburgo (África do Sul), mais afectado na África Subsaariana, com 150 casos.

“(....) Estamos a monitorar milimetricamente e a acompanhar  a  situação  internacional sobre o vírus. Pois, as condições  estão criadas para que as pessoas sejam encaminhadas aos centros de referência, onde devem obedecer a quarentena  institucional”, garantiu.

A ministra da Saúde sublinhou que, face à situação e pelo facto de Angola registar neste sábado os dois primeiros casos positivos de cidadãos nacionais, as medidas de vigilância serão reforçadas, bem como a melhoria da qualidade de assistência de potenciais pacientes.

Lavar as mãos, evitar aglomerados de 50 pessoas são, entre outros, pressupostos a ter-se em conta para a mitigação desta pandemia, que até ao momento já infectou 6.569 (seis mil, quinhentos e sessenta e nove cidadãos), entre os quais 2.136 em estado grave.

Dados apontam que o continente europeu regista o maior número de casos, com a Itália a liderar a lista de vítimas mortais mundialmente, com 3.405 mortos em 41.035 casos. A Espanha registou já 767 mortes (17.147 casos), a França 264 mortes (9.134 ) e o Irão, 1.284 mortes (18.407).

Na China, berço do novo Coronavírus,  desde o início da pandemia, em Dezembro na cidade de Wuhan, contraíram a doença 80.967 pessoas, incluindo 71.150 já receberam alta, numa altura em que vários países entraram em regime de quarentena e encerraram fronteiras.

África regista actualmente 790 casos positivos confirmados e 20 mortes, de um mínimo de 20 países, incluindo Angola. Com 256 confirmações (seis mortes), o Egipto é o mais afectado do continente, seguido da África do Sul, com 150 casos positivos.     

Fonte: Angop/AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo