Sociedade

Cidadão encontrado morto no interior da Igreja no Moxico

dd

Foto: Arquivo Notícias de Angola Online

Foto: Arquivo Notícias de Angola Online

Um cidadão de 28 anos de idade foi encontrado morto, terça-feira , no interior de uma igreja denominada " Verdade do Espírito Santo", no bairro Sawambo, arredores da cidade do Luena, província do Moxico.

Segundo a Angop que cita uma nota de imprensa da Polícia Nacional, o incidente ocorreu quando a vítima, que se encontrava antes internada no Hospital Geral do Moxico,  entendeu se  transferir para a referida igreja, por influência familiar.

De acordo com o documento, estão acusados no processo um cidadão de 57 anos de idade, alegadamente, pastor da referida seita religiosa e sua comparsa de 34 anos, supostamente profeta, pertencente à mesma Igreja.

Por outro lado, acrescenta a nota,  que relata a situação de segurança pública da província nas últimas 24 horas, um ancião de 74 anos de idade foi morto pela neta, no município do Luacano, por desentendimento entre eles.

O crime aconteceu quando a vítima foi visitar as acusadas e terminando a visita ao despedir-se as netas agrediram-no de forma violenta, tendo sido transferido, posteriormente, para uma unidade sanitária, onde sucumbiu.

No capítulo da violência doméstica,  uma cidadã de 41 anos de idade foi gravemente ferida por agressão com objectos pelo marido de 66 anos de idade, quando a lesada refutou-se a confeccionar o jantar, por alegada falta de comida em casa.

A vitima encontra-se neste momento internada no hospital geral do Moxico.

No município dos Bundas, 356 quilómetros a sul da cidade do Luena, um cidadão de 43 anos de idade, funcionário público, foi detido pela PN, por ter furtado três placas solares na sede da administração municipal.

Um jovem de 25 anos de idade foi, igualmente, apreendido por furto de um gerador eléctrico, cadeiras, mesa e estabilizadores, no interior da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no bairro Social da Juventude, arredores da cidade do Luena, refere a nota do comando da PN.

Fonte: Angop/AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo