Sociedade

Bispo quer reforço do apoio às vítimas da seca no Cunene

dd

O bispo da diocese de Ondjiva, Dom Pio Hipunyati, destacou, nesta sexta-feira, a necessidade de a sociedade angolana se mobilizar e reforçar o apoio alimentar para acudir as vítimas da seca na região.

O Cunene vive, desde o mês de Outubro de 2018, uma acentuada crise, com 880 mil e 172 pessoas e um milhão de cabeças de gado afectados pela seca, que já causou a morte de 30 mil cabeças, entre bovino, caprino e suíno.

Ao falar à imprensa no final da visita do presidente da UNITA, Isaías Samakuva, ao Bispado da Diocese de Ondjiva, Pio Hipunyati disse que os governantes, políticos e sociedade civil devem mostrar-se solidários para com à população.

“A seca prolongada está a provocar uma crise fome nas comunidades que dependiam apenas do resultado das colheitas nos campos e da criação do gado obrigando a uma intervenção urgente para minimizar a situação”, afirmou.

Pio Hipunyati afirmou que o governo deve declarar o estado de emergência, para a obtenção de mais apoios, visto que faltam nove meses para a próxima colheita agrícola (Maio de 2020).

Segundo dados do governo, a província do Cunene precisa de 35 mil toneladas de bens alimentares por mês, para acudir as pessoas afectadas pela seca nos municípios do Cuanhama, Cuvelai, Cahama, Namacunde, Ombadja e Curoca.

Para o efeito, o Executivo angolano disponibilizou 3.9 mil milhões de Kwanzas para a aquisição de bens diversos

O líder da UNITA, Isaías Samakuva, cumpriu o segundo dia dos três de visita ao Cunene.

Isaías Samakuva teve também encontros com o governador do Cunene, Vigilio Tyova, e o Rei de Onalueque, município de Ombadja, Mário Satipamba.

TPA com Angop/LD

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo