Sociedade

American School of Angola dialoga com MED para sua legalização

dd

A American School of Angola está a dialogar com o Ministério da Educação (MED) para legalização e reabertura desta instituição de ensino, encerrada esse mês por não possuir nenhum registo de processo do funcionamento.

A informação foi avançada esta terça-feira, em conferência de imprensa pelo director do Gabinete Jurídico da American School of Angola, Cipriano Caso, tendo ressaltado que estão a trabalhar em sintonia com o MED, no sentido da reabertura da escola.

Segundo o director, a notícia do encerramento American School of Angola foi colhida de surpresa pela direcção da escola, mas há conversações com o MED para se ultrapassar tal problema.  
Apontou equívocos ligados à localização geográfica da American School of Angola, situada no município de Talatona, como o principal motivo do encerramento desta instituição académica.

Referiu que para abertura da escola deu-se entrada dos documentos de legalização no município de Belas, na altura Talatona não tinha a categoria de município, o que provocou alguns constrangimentos na altura da fiscalização e vistoria feita por técnicos do Gabinete Provincial da Educação de Luanda.  

Os técnicos, sublinhou, procuram os processos da American School of Angola na repartição da Educação de Talatona, por isso não encontraram os registos da escola.

Esclareceu que o encerramento da escola não se deveu a eventuais preços altos das propinas, uma vez que o montante cobrado aos encarregados de educação são legais e dentro dos limites estabelecidos pelo Ministério das Finanças (MINFIN).

Salientou que se o MINFIN entender que a escola está a extrapolar no preço permitido no âmbito das liberdades das instituições prestadoras de serviço então poderá, por ofício, informar a American School of Angola no sentido de fixar um preçário em conformidade com as suas exigências.

Por sua vez, Marco Agostinho, um dos responsáveis da instituição, fez saber que a escola tem capacidade para acolher 450 estudantes, alguns dos quais regressaram ao país e outros deixaram de ir estudar no estrangeiro, por terem na American School of Angola o ensino que procuravam.

“Vamos continuar a dialogar com o MED para legalização e reabertura da escola não pelo factor financeiro, mas pela responsabilidade social e a sensibilidade para com os estudantes, que pretendem terminar a sua formação na instituição”, ressaltou.

Já o encarregado de educação Mário Silva manifestou a sua preocupação devido a paralisação das aulas, uma vez que essa situação poderá prejudicar a carreira académica da sua filha.

Apelou ao bom senso do MED nas negociações para se ultrapassar esse caso, uma vez que as aulas foram suspensa numa altura em que faltam apenas duas semanas para o término do ano lectivo na American School of Angola.

“Os mais prejudicados no meio dessa situação serão as crianças, que poderão perder o ano lectivo, por isso peço o bom senso do MED no tratamento desta questão e entendam que os pais e outros encarregados de educação investiram para formação dos alunos”, frisou.

Inaugurada em Setembro de 2017, a escola, com capacidade para  450 alunos, dá acesso ao I ciclo e ao ensino secundário com um currículo, segundo os seus promotores, cem por cento americano.

Fonte: Angop/AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo

Hoje

27°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

26°C

Amanhã

Depois

Hoje

26°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

29°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois

Hoje

30°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

22°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois