Política

Presidente João Lourenço já sabe com profundidade como está a TPA

dd

PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO (AO CENTRO) RECEBE EXPLICAÇÃO DO PCA DA TPA

Foto: Pedro Parente (Angop)

PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO (AO CENTRO) RECEBE EXPLICAÇÃO DO PCA DA TPA

Foto: Pedro Parente (Angop)

O Presidente da República, João Lourenço, constatou nesta sexta-feira as condições técnicas e laborais da Televisão Pública de Angola (TPA) no Centro de Produção de Camama, em Luanda, e prometeu investimentos para modernizar essa estação pública.

Após 1h30 de reunião com os membros do Conselho de Administração da Televisão Pública de Angola, João Lourenço afirmou à imprensa que "vamos priorizar a TPA e, a seu devido tempo, vamos prestar a mesma atenção aos outros órgãos" públicos.

O investimento tem como objectivo a prestação de um melhor serviço ao público. “Os telespectadores e os trabalhadores da TPA têm que concluir que valeu a pena o Presidente ter visitado estas instalações”, declarou.

A visita do Chefe de Estado angolano ao Centro de Produção da TPA visou encontrar soluções para a situação de carência e exiguidade de meios técnicos que a estação de televisão enfrenta.

Localizado no distrito Camama, o Centro compreende quatro blocos principais que comportam os serviços administrativos, estúdios (400m2), espaço energético, restaurante e serviços similares.

Entre os estúdios, sobressaem três. Um de 400m2, outro de 800m2 e o terceiro de 1.200m2. Actualmente, o Centro produz 95 por cento dos conteúdos emitidos pela TPA.

A expectativa é que a estação televisiva pública concretize, até ao próximo ano, a migração do sistema analógico para o digital e entre para o sistema de alta definição, conhecido por HD.

Inaugurado em Setembro de 2008, o Centro tem entre os seus objectivos lançar um projecto de ficção para a produção filmes novelas, seriados e documentários.

A infra-estrutura ocupa uma área de aproximadamente 210 mil metros quadrados, sendo 14.100m2 correspondentes a área de construção dos blocos, arruamentos e jardinagem.

A segunda fase do projecto prevê a construção de dois estúdios de 600m2 e um condomínio habitacional para os trabalhadores da TPA.

TPA com Angop/AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo