Política

Polícia detém "manifestantes" nas imediações do Parlamento

dd

POLÍCIA NACIONAL

Foto: Henri Celso (Angop)

POLÍCIA NACIONAL

Foto: Henri Celso (Angop)

Dez cidadãos foram hoje detidos pela Polícia Nacional, em Luanda, quando se manifestavam contra a tomada de posse de Manuel Pereira da Silva ao cargo de presidente da Comissão Nacional Eleitoral (CNE).

A detenção ocorreu na manhã desta quarta-feira, junto ao viaduto do Zamba 2, nas imediações da Assembleia Nacional, quando o Parlamento se preparava para empossar o novo presidente da CNE.  

O porta-voz do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, Hermenegildo de Brito, disse que os detidos estão na 2ª Esquadra, do distrito da Ingombota, sublinhando que “após identificação e o devido tratamento, serão postos em liberdade”.

Segundo Hermenegildo de Brito, mais de 100 manifestantes tentaram aproximar-se do Parlamento, criando constrangimentos ao trânsito automóvel, o que forçou a intervenção da Polícia para manutenção da ordem e tranquilidade.

O oficial da Polícia Nacional referiu que o grupo se manifestou sem cumprir o estipulado na lei, que estabelece uma prévia autorização para o efeito.

“Não estavam reunidas as condições de segurança para o livre exercício do direito de liberdade e de manifestação, previstos no artigo 47º da Constituição da República”, argumentou.

Hermenegildo de Brito refutou as acusações publicadas nas redes sociais e em alguns órgãos de comunicação social, segundo as quais a Polícia teria utilizado “força excessiva” para conter a manifestação.

Manuel Pereira da Silva venceu o concurso público curricular para o provimento do cargo de presidente da CNE, o que levou a que partidos da oposição, como a UNITA, interpusessem uma providência cautelar junto do Tribunal Supremo, para a suspensão da eleição.

Fonte: Angop/AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo