Política

1 de Outubro de 2012

Novos membros do Executivo tomam posse hoje

Novos membros do Executivo tomam posse hoje

Os titulares dos gabinetes ministeriais tomam posse esta manhã, no Palácio da Cidade Alta. O novo elenco governativo liderado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, e que tem como principal coadjutor Manuel Domingos Vicente, tem uma mão cheia de personalidades que pela primeira vez assumem uma pasta ministerial.

Os casos de estreias absolutas são vários, a começar pelo ministro de Estado e Chefe da Casa Civil, Edeltrudes Maurício Fernandes Gaspar da Costa. Até há bem pouco tempo este advogado e professor universitário foi membro da Comissão Nacional Eleitoral. Esteve no Executivo como um dos três vice-ministros da Administração do Território, ocupando-se das questões eleitorais, acumulando como coordenador adjunto da Comissão Interministerial para o Processo Eleitoral (CIPE).

Outro estreante, como ministro, é Ângelo da Veiga Tavares. Nomeado titular do Ministério do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, 52 anos, é licenciado em Economia pela Universidade Agostinho Neto. Tem uma longa trajectória como quadro do Ministério do Interior, onde exerceu, entre outras, as funções de director nacional dos Serviços Prisionais e director nacional de Planeamento e Finanças, chegando a vice-ministro.
O novo ministro do Planeamento e do Desenvolvimento Territorial também faz a sua estreia como titular. Em 2010, no âmbito da reformulação do Executivo, após a aprovação da Constituição, Job Graça foi nomeado secretário de Estado da Coordenação Económica. Até então, este economista e docente universitário era há dois anos vice-ministro da Economia.

Outra estreia como ministro é a de Rui Jorge Carneiro Mangueira. Antes de ter sido nomeado ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, este jurista, diplomata de carreira e também docente universitário, de 50 anos, foi secretário de Estado das Relações Exteriores para Organização Administrativa.

Mestre em Direito Económico Internacional pela University of Warwick, no Reino Unido, e licenciado em Direito pela Universidade António Agostinho Neto, Rui Mangueira exerceu entre outras funções a de coordenador da Secção de Assuntos Jurídicos e Tratados, na Direcção de Assuntos Jurídicos e Consulares,  embaixador Extraordinário e Plenipotenciário de Angola nos Emirados Árabes Unidos, Cônsul Geral de Angola no Dubai - Emirados Árabes Unidos e Director Interino da Direcção das Organizações Internacionais do Ministério das Relações Exteriores
Francisco Manuel Queirós também faz a sua estreia como ministro. Nomeado para dirigir o sector da Geologia e Minas, o jurista Francisco Manuel Queirós é mestre pela Universidade de Lisboa e exerceu as funções de secretário para os Assuntos Políticos e Constitucionais do Presidente da República. Publicou o livro “O sector informal de economia em Angola: contributos para a sua compreensão” e foi coordenador da Comissão Técnica para Revisão da Legislação Mineira.

Outro estreante é Adão do Nascimento. Dono de um mestrado em Ciências Pedagógicas pelo Instituto Pedagógico Estatal Hertzen de Leninegrado, foi secretário de Estado até antes de ser nomeado ministro do Ensino Superior. Adão Gaspar Ferreira do Nascimento teve passagem pelo Ministério da Indústria e Energia, como técnico, antes de fazer parte dos quadros do Ministério da Educação, onde foi Director Nacional de Formação de Quadros de Ensino e chegou a secretário de Estado do Ensino Superior.

José António da Conceição e Silva faz também a sua estreia como titular de um gabinete ministerial, com a divisão de pastas no então Ministério do Urbanismo e Construção. Antes de ter sido nomeado ministro do Urbanismo e Habitação, foi Director Nacional de Infra-estruturas Públicas.
Com a separação das pastas da Agricultura e das Pescas, Vitória de Barros Neto assume o segundo sector. Nomeada ministra das Pescas, Vitória de Barros Neto é licenciada em Biologia. Desde 2004 foi vice-ministra das Pescas e passou a secretária de Estado com a reformulação do Executivo em 2010.

Autora de vários trabalhos sobre a pesca em Angola e na região do ecossistema da corrente fria de Benguela (Angola, Namíbia e África do Sul) foi directora técnica do Instituto de Investigação Pesqueira e directora geral do Instituto de Investigação Marinha.

Outra estreia absoluta em funções no Executivo é a de Bernarda Henriques da Silva. Licenciada em Engenharia Química e Pós-Graduada em Gestão, a nova ministra da Indústria foi deputada até antes da sua nomeação. Entre as funções exercidas consta a de directora nacional do Ministério da Indústria e foi docente da Faculdade de Engenharia da Universidade António Agostinho Neto.

Outra estreante é a nova ministra do Comércio. Apesar de assumir pela primeira vez um gabinete ministerial, Rosa Escórcio Pacavira de Matos não é propriamente um rosto desconhecido, nomeadamente pelo protagonismo que teve como secretária para os Assuntos Sociais do Presidente da República e como coordenadora da Comissão Nacional de Luta contra a Pobreza, órgão que congregava os Ministérios do Planeamento, Administração do Território, Agricultura e Comércio.

José Luís de Matos assume também pela primeira vez um gabinete ministerial. Nomeado ministro da Comunicação Social, foi durante muitos anos Director Nacional de Informação. Antes foi quadro do Jornal de Angola, esteve algum tempo cedido à diplomacia e também foi assessor da Presidência da República para a Área de Imprensa.Maria Filomena Delgado também faz a sua estreia como ministra no Executivo do MPLA. Formada em Sociologia pela Universidade de Calabar na Nigéria, a nova ministra da Família e Promoção da Mulher ocupou cargos de destaque e desempenhou funções técnicas com alguma visibilidade. Foi vice-ministra da Família e Promoção da Mulher e também assumiu o cargo de vice da Agricultura e Desenvolvimento Rural, até que, no âmbito da reformulação do Executivo com a entrada em vigor da Constituição de 2010, foi nomeada secretária de Estado para o Desenvolvimento Rural.

Rosa Micolo é estreia absolutíssima no Executivo. Antes da sua nomeação esteve afecta ao Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, como directora-geral do Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão (SIAC), cargo que passou a ocupar depois de sair do Governo Provincial de Luanda, onde foi directora provincial da Habitação. Rosa Luís de Sousa Micolo é a nova ministra dos Assuntos Parlamentares.

Da lista de ministros divulgada pelos órgãos auxiliares da Presidência da República, também faz parte Manuel Hélder Vieira Dias Jr, ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança.

Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem e Georges Rebelo Pinto Chicoti, que ocupam, respectivamente, as pastas da Defesa Nacional e das Relações Exteriores, foram também reconduzidos.
Na equipa económica, Abraão Pio dos Santos Gourgel é o ministro da Economia e Carlos Alberto Lopes assume o Ministério das Finanças.
Bornito de Sousa Baltazar Diogo é o ministro da Administração do Território e António Domingos da Costa Pitra Neto fica no Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.

Kundi Paihama foi nomeado ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Afonso Pedro Canga é o ministro da Agricultura e Fernando Fonseca é o titular do Ministério da Construção.

João Baptista Borges fica com a pasta da Energia e Águas, Augusto da Silva Tomás foi nomeado ministro dos Transportes e Maria de Fátima Jardim é a titular do Ministério do Ambiente. No Ministério das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação, o titular é José de Carvalho da Rocha e Maria Cândida Pereira Teixeira foi nomeada ministra da Ciência e Tecnologia.

Rosa Maria Martins da Cruz e Silva assume a titularidade do Ministério da Cultura, João Baptista Kussumua é ministro da Assistência e Reinserção Social e Manuel Gonçalves Muandumba foi nomeado ministro da Juventude e Desportos.

« voltar