Nacional

Toyota abre academia para técnicos angolanos

dd

O embaixador japonês em Angola, Hironori Sawada, informou hoje, em Luanda, que a Toyota deve abrir, no próximo mês de Outubro, uma academia para treino de mecânicos angolanos, no quadro da promessa de instalação, no próximo ano, de uma fábrica de montagem de viaturas.

Em declarações à imprensa no termo de uma audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, poucos dias depois da 7.ª edição da Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento de África (TICAD 7), Hironori Sawada disse que a Toyota está a apostar muito em África, lembrando que esta iniciativa de instalação de uma fábrica em Angola faz parte da estratégia da multinacional japonesa. 
FIsto é um bom sinal, principalmente para uma nova estratégia em Angola. Esperemos que esse projecto dê certo, até porque pretende-se implementar outros”, sublinhou o diplomata. 
O Chefe do Estado angolano recebeu, na semana passada, em Yokohama, à margem da TICAD, o vice-presidente da Toyota Tsucho Corporation, Hideki Yanase, de quem recebeu a garantia de que, se tudo correr bem, as obras da fábrica de montagem de veículos da marca devem começar no primeiro trimestre do próximo ano.
Durante o encontro de ontem, no Palácio Presidencial, em Luanda, foi feito um balanço sobre a participação do Chefe do Estado angolano na TICAD 7. O Presidente João Lourenço e o embaixador japonês abordaram igualmente questões ligadas ao reforço da cooperação, bem como às vias para elevá-la a um nível de excelência. 
Na óptica de Hironori Sawada, a relação de cooperação com Angola já é muito boa, mas ele considera ser necessário aprofundá-la ainda mais, numa altura em que existem, entre os dois países, vários projectos em andamento. Para o diplomata nipónico, apesar do estágio bom em que se encontra a cooperação, é preciso fazer mais para a sua consolidação. 
De recordar que o Japão se comprometeu a mobilizar o sector privado para investir em diversos segmentos da economia angolana. Esta garantia foi expressa na reunião entre o Presidente João Lourenço e o Primeiro-Ministro japonês, Shinzu Abe, realizada à margem da TICAD 7, encerrada na sexta-feira. Outro sector em que Angola deseja a participação nipónica é a de infra-estrutura.
Segundo o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, o Japão tem necessidade de matérias-primas, algumas das quais Angola possui em abundância, e é o maior consumidor mundial de pescado e importa ferro das minas de Cassinga há décadas. “Temos projectos concretos e objectivos bem traçados que, se concretizados, vão ajudar Angola a desenvolver-se”, disse.
O investimento japonês de vulto em Angola, nos últimos anos, é o financiamento à reconstrução do Porto no Namibe, avaliado em cerca de 600 milhões de dólares. Os japoneses estão igualmente interessados na construção de refinarias em Angola. Há, segundo o embaixador japonês, uma empresa interessada na construção de uma refinaria no Lobito.

Fonte: JA/ JS

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo