Nacional

Sindicalistas consideram frutífero encontro com Executivo

dd

Representantes de organizações sindicais consideraram nesta terça-feira, em Luanda, frutífero o encontro entre estes e membros do Executivo, cujo objectivo é encontrar soluções para melhoria do ambiente social e a qualidade de vida dos trabalhadores.

A reunião presidida pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa, teve como objectivo diagnosticar as principais questões susceptíveis de gerar manifestações de greve, identificar medidas para tratamento destas, informar aos parceiros sociais sobre as acções em curso para melhoria do ambiente sócio-económico e a qualidade de vida das populações.

Em declarações à imprensa, Lázaro Binjola, do Sindicato de Oficiais da Justiça, considerou “bem sucedido” o encontro, na medida em que todos os sindicalistas apresentaram os seus pontos de vista em relação as reivindicações dos parceiros sociais do Estado.

Afirmou que levou como preocupação a falta de condições de trabalho, a valorização dos ofícios de justiça, bem como a projecção na carreira, que têm provocado certo descontentamento a nível da classe.

Já Adriano Manuel, presidente do Sindicato do Médicos de Angola, qualificou proveitosa a reunião, pois permitiu aos sindicalistas abordarem as principais inquietações.

No sector da saúde, abordou-se aspectos ligados à situação real, principalmente às condições de trabalho nas unidades hospitalares.

Por sua parte, o vice-presidente da Federação do Sindicato da Educação, Adriano Santos, louvou o governo por essa abertura de diálogo, defendendo continuidade.

“Apresentamos algumas preocupações no concernente ao estatuto remuneratória, cuja aplicação deve ser aplicada na prática”, frisou.

Na mesma senda, Cândido Teixeira, do Sindicato dos Jornalistas, apresentou propostas ligada à questão da aprovação com urgência das carreiras, nas empresas de comunicação social públicas.

Outra sugestão, apresentada por Cândido Teixeira, tem a ver com a autorização, por parte do Estado, das empresas públicas de comunicação social canalizarem 10 porcento das suas receitas publicitárias para um fundo de pensão dos jornalistas.

Para a líder do Sindicato Nacional dos Professores (Sinprof), Hermínia do Nascimento, o encontro foi benéfico porque permitiu ouvir, do Executivo, o quadro da situação financeira que o país vive.

Disse que o Sinprof recomendou ao Executivo a realizar um novo cadastramento biométrico, para auferir quantos professores de facto exercem a profissão, para pôr fim o número de trabalhadores “fantasmas”, acima de tudo no sector da educação.

O Executivo, de acordo com o Vice-presidente da República, Bornito de Sousa, conta com a participação dos parceiros sociais em todos os domínios da vida social e laboral, e almeja que sejam encontradas as soluções e consensos que promovam, cada vez mais, o diálogo, a paz social e o crescimento económico do país.

TPA com Angop / EB

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo