Nacional

Siac prevê expandir serviços à outras províncias do país

dd

O serviço integrado de atendimento ao cidadão (Siac) deverá ser expandido para mais províncias do país até ao final do ano, informou o director geral da instituição, Anselmo Monteiro.

O responsável, que falava à imprensa no âmbito das comemorações do 11º aniversário da instituição (11 de Setembro), frisou que numa primeira fase, o projecto de expansão vai ser realizado nas províncias da Huíla, Cuanza Sul, Cuanza Norte, bem como no aumento da capacidade de atendimento em Benguela e Luanda, mais precisamente nas centralidades do Lobito e do Kilamba, com a construção de uma unidade em cada zona.

A unidade de Talatona foi a primeira a ser inaugurada, em 2007, em 2010 em Caxito (Bengo), em 2011 Malanje, Uíge, Zango (Luanda), Benguela e Cazenga (Luanda), em 2012 no Huambo, em 2013 Cabinda e Saurimo (Lunda Sul), em 2016 Cacuaco (Luanda) e em 2017 no Cunene.

Referiu que o Siac prevê igualmente aumentar os serviços já prestados, como ter postos de Migração e Estrangeiros para a emissão do passaporte, entre outros, de forma aproximar cada vez mais os préstimos ao cidadão.  

Fez saber que a instituição atende diariamente mais de 15 mil cidadãos.

Anselmo Monteiro reconheceu existir alguns problemas de ordem material no que concerne ao registo de propriedade automóvel, mais está a ser resolvido pelo ministério da Justiça, informando que a instituição tem actualmente mais de 10 mil títulos de propriedades para os cidadãos levantarem.

Criado em 2007, como serviço público tutelado pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS) e dotado de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, o Siac tem como objectivo a concentração num único espaço físico da prestação de diversos serviços, através do atendimento com base na simplificação de procedimentos.

O Siac tem por missão desburocratizar e simplificar a prestação de serviços, disponibilizar condições físicas e ambientais adequadas aos cidadãos e uniformizar os padrões de atendimento, quer no sector público administrativo, quer no privado.

Tem ainda como visão ser uma instituição pública com alto padrão de atendimento e qualidade na prestação de serviços públicos e privados e aos agentes económicos e sociais, através de inovação dos procedimentos de atendimento.

A responsabilidade social do SIAC tem permitido conduzir iniciativas focadas na participação dos funcionários em acções de apoio a organizações que promovam o bem-estar no contexto da sociedade civil.

Actualmente, o Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão conta com 12 unidades, sendo que no período 2012-2017 foram inauguradas cinco unidades em quatro províncias, o que representa 42 por cento do total das unidades instaladas.  

Fonte: ANGOP/BA

 

 

Fonte: ANGOP/BA

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo