Nacional

Saúde tem 1.666 vagas para promoção de técnicos

dd

Conferência sobre anúncio de recrutamento de quadros para o MINSA

Foto: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Conferência sobre anúncio de recrutamento de quadros para o MINSA

Foto: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Mil seiscentas e sessenta e seis vagas do concurso público da saúde, cujas inscrições iniciam hoje, segunda-feira (03), no país, são para funcionários que durante o período em que estavam a trabalhar aumentaram as suas habilitações literárias e conseguiram fazer licenciaturas em medicina, enfermagem e técnicos de diagnóstico e terapêutica.

Os candidatos vão concorrer as 7.667 vagas nas categorias de actualização, ingresso e promoção do Ministério da Saúde.

Para o concurso estão ainda disponíveis 2.999 vagas para promoção, ou seja funcionários  vinculados no Ministério da Saúde e que devem passar para uma categoria imediatamente superior nas carreiras de médico, enfermagem e técnicos de diagnóstico e terapêutica.

Na categoria de ingresso estão disponíveis 1.700 vagas, todos os profissionais com ou sem vínculo no Estado, sendo 1.500 para admissão de médicos, 100 para enfermeiros licenciados, 100 para técnicos de diagnóstico e terapêutica licenciados e 57 para especialistas.

Na conferência de imprensa para anunciar o concurso, realizado a 20 de Agosto deste ano, a ministra da saúde, Sílvia Lutucuta, revelou que actualmente com 6.400 médicos, o país precisa de 28 mil médicos.

As inscrições vão ser feitas online e a entrega dos documentos 20 dias depois, nas delegações municipais da Saúde, sendo que a prova de admissão será escrita, com correcção electrónica, e as listas dos apurados vão ser afixadas nos municípios. Os estrangeiros residentes também podem concorrer.

A ministra sublinhou que, no âmbito do concurso de promoção e actualização  de categoria, a prioridade é para os que estão há mais anos na mesma carreira e os que estão em idade de reforma, lembrando que 45 anos é a idade limite de ingresso de médicos na rede de saúde publica.

A quota de distribuição por província teve como parâmetros de atribuição o rácio populacional, a realidade social, bem como a rede sanitária de cada uma.

A admissão de novos médicos vai contribuir para regularizar os problemas da carreira e a elevação do rácio angolano de um médico para quatro mil habitantes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um médico para cada mil habitantes, o que obrigará a formação contínua de novos médicos.

Fonte: Angop / EB

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo

Hoje

37°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

27°C

Amanhã

Depois

Hoje

31°C

Amanhã

Depois

Hoje

35°C

Amanhã

Depois

Hoje

32°C

Amanhã

Depois

Hoje

37°C

Amanhã

Depois

Hoje

31°C

Amanhã

Depois

Hoje

32°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois

Hoje

32°C

Amanhã

Depois

Hoje

34°C

Amanhã

Depois

Hoje

33°C

Amanhã

Depois

Hoje

36°C

Amanhã

Depois

Hoje

30°C

Amanhã

Depois

Hoje

36°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

26°C

Amanhã

Depois

Hoje

38°C

Amanhã

Depois

Hoje

34°C

Amanhã

Depois

Hoje

27°C

Amanhã

Depois

Hoje

26°C

Amanhã

Depois

Hoje

30°C

Amanhã

Depois