Nacional

Polícia desactiva controlo em estradas

dd

Paulo de Almeida disse que o objectivo é facilitar a livre circulação de pessoas e bens e tornar fluído o trânsito nestas vias e nos locais em que se observar necessidade. Contudo, nas fronteiras de maior fluxo de entradas e saídas do país, vão manter-se os postos de controlo.

“Fez-se uma pesquisa a nível nacional e constatou-se que há postos de controlo que já não se justificam, pelo facto de não existirem, nestes locais os problemas que anteriormente se registavam”, disse, na ocasião, o comandante-geral da Polícia Nacional. Anunciou, todavia, que está em curso um levantamento para implantação de postos de controlo em locais onde a situação operativa se faça sentir nos domínios da livre circulação de pessoas e bens.
Durante o encontro, o co-missário-geral Paulo de Al-meida debruçou-se sobre a implementação do projecto “A Nossa Esquadra”, bem como os critérios de criação de esquadras, postos policiais e a estratégia de policiamento nas estradas nacionais e inter-provinciais.

O conselho fez igualmente uma análise da corporação, aspecto económico, social e político do país, bem como as situações que a Polícia Nacional pode enfrentar em contextos que influenciem a segurança pública.

Paulo de Almeida falou também da implementação do Estatuto Orgânico da Polícia Nacional, à luz do actual contexto organizacional e funcional, com novas políticas que exigem dos efectivos adaptações à estrutura.

A Polícia Nacional liberta-se, deste modo, do constrangimento que vinha registando há décadas e hoje nota-se um enquadramento mais completo, pelo facto de contemplar três componentes fundamentais da sua actuação, nomeadamente a “prevenção, in-
vestigação e repressão”.

Fonte:JA/EG

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo