Nacional

Lista vermelha das espécies de Angola

dd

Foto: Rosário dos Santos (Angop)

Foto: Rosário dos Santos (Angop)

O pinguim do cabo, o rinoceronte preto e a Hiena Castanha são as espécies animais extintas da fauna angolana - indica a Lista Vermelha das Espécies de Angola tornada pública nesta sexta-feira em Luanda pelo Ministério do Ambiente.

Para que se chegasse a esta conclusão, foi adoptado o critério do histórico de ocorrência natural ou por nunca mais ter sido avistada no seu habitat.
Cento e sessenta espécies (da fauna e flora) contemplam a lista, que as agrupa em quatro categorias: Extinção, Ameaçada de Extinção, Vulneráveis e Invasoras.   

Do grupo ameaçado de extinção constam 29 animais, dos quais se destacam a palanca negra gigante, o mabeco, hiena malhada, protelo, leão, chita (onça), zebra de montanha, gorila, pacaça ou búfalo vermelho, chimpanzé, manatin e o macaco de braza.

Para a sua catalogação, teve-se em conta  factores que ameaçam a sua existência, dificultando a sua reprodução ou regeneração natural, levando as suas populações abaixo de níveis sustentáveis.

Na lista aparecem as 100 espécies   vulneráveis, devido a actividades humanas ameaçarem a sua existência naturalmente: a zebra da planície, elefante da Floresta e da savana, Gimbo, Pangolim vulgar e da floresta, Leopardo, gato selvagem, Caracal, serval, Civeta, geneta, Perdiz da montanha e de estrias cinzentas são das que se destacam.

Das espécies vulneráveis constam a raposa orelhuda, chacal de dorso preto, papa moscas de Angola e de Bohm, avestruz, tartaruga de pente e cabeçuda, crocodilo, baleia Azul e falsa orca, o carapau, linguado e os insectos spaklewing e Jewel.

Do mesmo grupo, mas na vertente da flora, aparecem a fumbua, mangais pretos, pau de cabinda, palmeira real, welwitcha, Makundi-kumbi, pau rosa, Kitiba, tacula, ebano, mafumeira kitsombe e salale.

Este inventário aponta a existência de espécies invasoras, por se introduzirem numa determinada região do país, concorrendo ou eliminado os seres nativos, tais como o peixe cacusso e vegetais como a cromolena, congo ya sica, solamam mauritianum, camára-de-cheiro, mamoeira, jacintos de água, prosópis, figo-do-diabo, acácia saligna, Inga pequeno, lweucema Erva de são Paulo e cana- do-reino.

A elaboração da lista vermelha de espécies de Angola realizou-se por meio de consulta e contribuições, com a participação de instituições nacionais e internacionais, com destaque para as universidades Agostinho Neto, Metodista, o Centro de Recursos Fitogenéticos e o Centro Nacional de Botânica e o National Geographic.

Antes, em 2007 e 2012, em Angola foi elaborada uma lista vermelha indicativa somente de mamíferos em estado crítico, na qual se destacam búfalos, chimpanzés, chitas, girafas, gorilas, palanca negra gigante, zebra da montanha, rinoceronte  preto, leões e leopardos, quando havia 100 exemplares vivos para cada espécie em todo o país.

TPA com Angop/AF

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo