Nacional

Acidentes rodoviários causam mais de dois mil mortos em 2019

dd

COMANDANTE-GERAL DA POLÍCIA NACIONAL, PAULO DE ALMEIDA (ARQ.)

Foto: Joaquina Bento (Angop)

COMANDANTE-GERAL DA POLÍCIA NACIONAL, PAULO DE ALMEIDA (ARQ.)

Foto: Joaquina Bento (Angop)

Pelo menos duas mil e 327 pessoas morreram e onze mil e 768 ficaram feridas em consequência de 10 mil 710 acidentes rodoviários registados em 2019 pela Polícia Nacional, representando uma redução de 228 sinistros em relação ao ano anterior.

Os dados foram revelados esta terça-feira, em Luanda, pelo comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, durante a 1ª Sessão Extraordinária da Comissão Executiva do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito (CNVOT).

Segundo o comissário geral, apesar de se registar uma ligeira diminuição de acidentes, mortes e feridos, a situação da sinistralidade no país é uma das grandes preocupações do Executivo, que aposta na prevenção rodoviária.

Indicou que, no decurso do ano de 2020, a corporação vai rever algumas políticas rodoviárias que incidirão, fundamentalmente, na troca de cartas condução, em exame multi-média e escrito.

Construção de estradas seguras

O comissário geral manifestou a necessidade de se rever a política da conservação, manutenção e feitura das estradas nacionais.

“Temos que construir estradas largas que deêm maior estabilidade, segurança, com a sinalização competente e adequada”, observou.

Disse, também, ser necessário a implementação da inspecção periódica de viaturas no país. “Notamos que muitas das viaturas que circulam nas estradas do país estão em mau estado técnico”.

A reunião que analisou, entre outros, as políticas de prevenção e segurança rodoviária, integração regional, serviu de antecâmara à terceira conferência mundial dos ministros sobre a segurança rodoviária, a decorrer de 19 a 20 de Fevereiro em Estocolmo, na Suécia.

TPA com Angop/AF


PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo