Internacional

Rabino ortodoxo é preso suspeito de escravizar 50 mulheres em Israel

dd

A polícia israelita prendeu nesta segunda-feira, em Jerusalém, um rabino ultra-ortodoxo suspeito de escravizar cerca de 50 mulheres, além dos seus filhos pequenos, num complexo residencial em Jerusalém, informou hoje a agência AFP.

As autoridades policiais não revelaram a identidade do homem, que dizem ter cerca de sessenta anos, mas garantiram que ele permanecerá em detenção preventiva pelos próximos sete dias.

O homem já havia sido preso em 2015, mas foi libertado por suspeitas semelhantes, mas novos elementos favoreceram a sua prisão, segundo um comunicado da polícia.

"À medida que a investigação avança, os investigadores encontraram evidências nos últimos dois meses para sugerir que o suspeito tem o controlo absoluto sobre a vida de aproximadamente 50 pessoas que vivem num complexo residencial e estão todas sujeitas à sua vontade e isoladas das suas famílias", afirmou a polícia.

O homem é um "rabino" e lidera uma "comunidade fechada" em "condições de escravidão", disse outra fonte policial à AFP. Ele é suspeito de "crimes diversos contra mulheres e seus filhos", alguns dos quais com menos de cinco anos, acrescentou.

Fonte: Angop/JS

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo