Internacional

Histoplasmose: A doença pulmonar que ameaça as crianças salvas da gruta

dd

Após terem permanecido 17 dias presos numa gruta na Tailândia, os 12 rapazes em idade escolar e membros da equipa de futebol Javali Selvagem, e o respetivo treinador, que foram ontem totalmente resgatados, estão agora a ser submetidos a extensos exames médicos, por receio de terem contraído histoplasmose – uma doença pulmonar potencialmente letal.

A saber aquela patologia é provocada pela inalação de dejetos e fungos de aves e morcegos. As células reprodutivas presentes nesses fungos vivem sobretudo em ambientes húmidos, e é daí que a condição adquiriu também o apelido de ‘doença da gruta’.

Apesar da maioria dos casos de histoplasmose não requererem tratamento, a verdade é que a infeção pode ainda assim evoluir para uma condição mais séria quando os afetados têm o seu sistema imunitário profundamente fragilizado.

Os casos mais severos de ‘doença da gruta’ podem causar o aparecimento de meningite, pneumonia, prejudicar o funcionamento das glândulas supra-renais e provocar ainda complicações de natureza cardíaca e pulmonar.

Quais são os sintomas desta condição?

A infeção pode permanecer inativa até cerca de 17 dias, porém os sintomas aparecem normalmente 10 dias após o contágio.

Os casos mais severos de histoplasmose manifestam-se sobretudo através de sintomas semelhantes aos da tuberculose, e que incluem falta de ar e tossir sangue.

Febres altas, dores de cabeça severas e rigidez no pescoço (devido ao inchaço que surge na zona do cérebro e na espinha dorsal), são os principais sinais que indicam que aquela condição evoluiu para algo mais sinistro e potencialmente mortífero.

Apesar de dois dos rapazes estarem a sofrer com complicações pulmonares, até ao momento nenhum dos resgatados foi diagnosticado com histoplasmose. 

Fonte: msn/BA

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo