Economia

Primeira plataforma “nasce” em Cabinda

dd

Orçado em 60 milhões de dólares, a plataforma, concebida para um modelo standard, tem como foco conceber soluções económicas viáveis e inovadoras.

A plataforma, segundo os mentores do projecto, poderá começar com as perfurações de poços de petróleo no Bloco 0 a partir do primeiro trimestre de 2021, com perspectiva de criar 300 postos de trabalho directos. O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos afirmou que o “Lifua A” é fruto de medidas legislativas que o Executivo tem vindo a tomar nos sectores dos Petróleos e Gás, tendo em vista o seu desenvolvimento.
“A implementação deste projecto só foi possível devido às alterações na legislação efectuadas no sector dos Petróleos, que permitiram o surgimento de mais iniciativas à volta dos campos marginais”. O ministro incentivou as empresas do sector, que pretendem investir no país, a fazerem o uso das aberturas legais criadas propositadamente para o crescimento da indústria petrolífera nacional. 
O governador de Cabinda, Marcos Alexandre Nhunga, considerou o projecto “Lifua A” uma mais-valia para a província, já que vai proporcionar emprego à juventude e fornecer oportunidades de negócios aos empreendedores locais, ajudando, assim, a combater a pobreza.

Fonte: JA/BA

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo