Economia

Paciência está acabando: Rússia e Irão livram-se do dólar

dd

CC BY 2.0 / Images Money / Dollar

CC BY 2.0 / Images Money / Dollar

Enquanto Washington incluiu a Rússia e o Irão na nova lista de sanções por serem aliados de Damasco, Moscovo e Teerão estão prontos para se livrar do dólar.

Os dois países já chegaram a acordo para não usar o dólar nas transações mútuas, apostando no Rublo russo e Rial iraniano.

Moscovo já lançou as mesmas negociações com a China, Turquia e Índia.

A UE também declarou que não vai usar o dólar nas transações entre os países membros da união. Além disso, analistas acreditam que a Rússia e o Irão mostrarão aos países da OPEP que é possível abdicar do dólar.

Embora hoje em dia o dólar seja responsável por 70% das transações no comércio global, no futuro próximo essa cifra poderia baixar. Cada vez mais países entram no bloco contra o dólar, devido à política agressiva e imprevisível de Washington, informou a Sputnik.

Em abril de 2018, Teerã recusou usar a divisa americana e começou realizar todas as transações comerciais em euros. A Índia já paga pelo petróleo importado do Irã em euros, em vez de dólares. Os sucessos da Rússia e do Irã na desdolarização das suas economias poderiam contribuir para o mesmo processo ocorrer em outros países membros da OPEP.

A UE também planeja abandonar o uso do dólar nas importações de petróleo iraniano. Por exemplo, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, queixou-se de que a Europa paga 80% das suas importações de energia na divisa norte-americana, o que desafia a lógica.

O Reino Unido, a França e a Alemanha já criaram um mecanismo de pagamentos com o Irã baseado na moeda europeia, o chamado INSTEX (Instrumento de Apoio às Trocas Comerciais entre a União Europeia e o Irão).

Quanto à Rússia e China, em janeiro-novembro de 2018 o volume de transações realizadas nas moedas nacionais no comércio fronteiriço aumentou 48%. A cota-parte das moedas nacionais nas transações mútuas já chegou a 15% e continua crescendo.

Segundo Gal Luft, diretor-executivo do Instituto de Análise da Segurança Global, os EUA estão em guerra económica contra quase 20 países, com o PIB total de mais de 15 trilhões de dólares. Serão esses países que determinarão o futuro do dólar como moeda global, enquanto a Rússia e a China terão a palavra final.

Fonte: Sputnik / EB

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo