Economia

Instituto Médio Agrário de Malanje ensaia certificação alimentar

dd

O Instituto Médio Agrário de Malanje está criar laboratórios de transformação de alimentos. O objectivo é o de ensinar os estudantes a transformar alimentos que depois resultem em compotas, marmeladas, maionese, picle entre outros. Actualmente, a escola tem 790 estudantes e a principal aposta está nas aulas de campo a partir da décima classe.   

A TPA testemunhou uma aula de produção vegetal de estudantes da décima-segunda classe.

Para quem estuda agronomia sabe que é desde cedo que se põe a mão na massa ou seja na terra. Neste universo de estudantes nem todos sonhavam em ser agrónomos.

É o caso do jovem Aires Martins que sempre sonhou em ser médico porém ao invés de um estetoscópio pendurado ao pescoço quis o destino que a enxada fosse o seu principal instrumento de profissão .

Ao contrário de Aires, Maura sempre soube da importância de estudar agronomia, e hoje concretiza um sonho.

Se no campo estão saber prático dentro da escola está outro complemento importante para a formação dos 790 estudantes dos quais 200 em regime de internos.

No Instituto Médio Agrário de Malanje, os laboratórios são uma espécie de parentes ricos dos estudantes, porque as visitas são constantes e o intercâmbio cubano está sempre presente.

Os grandes cientistas também estão expostos aos olhares dos estudantes, para quem ensina está é a forma de motivar e lembrar que um dia alguém criou teorias para hoje fossem estudadas.

A instituição além daquilo que é prática curricular aponta ter chegado a hora de fazer diferente é por isso tem já a caminho um projecto ambicioso.

De forma tímida algumas empresas locais começaram já a manifestar interesse pelos conhecimentos destes estudantes.

O Instituto Médio de Agronomia existe desde 2007 e nele leccionam sessenta professores entre angolanos e cubanos.

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo