Economia

Finanças confiscam mais de onze milhões de kwanzas em sala de jogos ilegal

dd

Sala de jogos Fortuna ou Azar na Cidade da China

Foto: Angop

Sala de jogos Fortuna ou Azar na Cidade da China

Foto: Angop

O Ministério das Finanças, através do Instituto de Supervisão de Jogos (ISJ), confiscou quarta-feira, para os cofres do Estado, 11 milhões e 821 mil e 850 kwanzas da sala de jogos "Fortuna ou Azar" da empresa Long Cheng Hui Suo, que funcionava ilegalmente, desde Julho deste ano, no shopping "Cidade da China", em Luanda.

De acordo com uma fonte do Instituto de Supervisão de Jogos, em declarações à Angop, disse que a sala estava instalada num edifício de um piso, com hospedaria, bar e outros serviços e foi encerrada pelo ISJ, numa acção que contou com a presença de efectivos da Polícia Nacional, Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) e de Bombeiros.

O acto de encerramento culminou ainda com a apreensão mil 291 dólares americanos e material que promove a actividade, como mesas de jogos pocket, roleta russa, computadores, o servidor da sala de vigilância, fichas e dezenas de baralhos de cartas.

Um outro cofre móvel, cuja chaves não foram entregues ao efectivo da polícia em serviço no local, também foi retirado do recinto, estando a corporação a investigar, o motivo da não cedência das chaves por parte dos proprietários.

No momento da inventariação de outros meios encontrados na sala de jogos “Fortuna ou Azar”, o processo foi interdito, por ter sido desligado o sistema de energia eléctrica das instalações, por um dos funcionários, sem o prévio aviso.

O proprietário do recinto, de nacionalidade chinesa, resistiu por algumas horas a abertura de um determinado compartimento, só mais tarde acatou a orientação das autoridades, que vistoriaram a sala, onde encontraram vestígios de queima de documentos.

Os funcionários da empresa chinesa, num total de 60, pediram auxílio às autoridades por estarem sem receber os seus salários há mais de três meses, num valor de 72 mil kwanzas para cada trabalhador.

A fonte relatou que os trabalhadores da empresa acusaram o dono de ter mais dinheiro escondido e depositado em contas bancárias, visto que muitos serviços eram saldados via Terminais de Pagamentos Automáticos (TPA).

De acordo com a fonte, os trabalhadores, na sua maioria angolanos, afirmaram que o casino arrecada milhões de kwanzas diariamente. O recinto era frequentado, na sua maioria, por cidadãos asiáticos.

O Estado, na qualidade de regulador desta actividade, está a definir os locais onde podem funcionar as salas de jogos, que não devem estar próximos de escolas, igrejas e unidades hospitalares.
Está em curso um processo de conformação de 13 salas de jogos em Luanda.

O primeiro casino encerrado este ano foi o “ Atlântico”, localizado na via expressa, onde registou-se um homicídio de um cidadão de nacionalidade congolesa.

Fonte: Angop / EB

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo

Hoje

17°C

Amanhã

Depois

Hoje

20°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

17°C

Amanhã

Depois

Hoje

18°C

Amanhã

Depois

Hoje

15°C

Amanhã

Depois

Hoje

21°C

Amanhã

Depois

Hoje

17°C

Amanhã

Depois

Hoje

15°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

13°C

Amanhã

Depois

Hoje

20°C

Amanhã

Depois

Hoje

18°C

Amanhã

Depois

Hoje

21°C

Amanhã

Depois

Hoje

18°C

Amanhã

Depois

Hoje

20°C

Amanhã

Depois

Hoje

18°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

20°C

Amanhã

Depois

Hoje

19°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

21°C

Amanhã

Depois

Hoje

18°C

Amanhã

Depois