Economia

Estação Experimental Agrícola do Namibe pode tornar-se Centro de Investigação

dd

A estação experimental agrícola do Namibe pretende transformar-se em Centro de Investigação, de forma a aferir maior qualidade nas suas pesquisas, no âmbito de revitalização agronómica em curso no país.

A intenção foi manifestada pelo responsável da estação experimental agrícola, Adriano Muicoto André, em entrevista à Angop, tendo salientado que uma das exigências das ciências de tecnologia para a concretização de tal desiderato cinge-se pela existência de pelo menos dois laboratórios. A estação não possuiu nenhum laboratório actualmente.

Segundo o engenheiro agrónomo, mesmo não tendo os laboratórios o que se faz a nível da estação justifica para mostrar que nenhum outro lugar em Angola tem condições boas para se instalar o Centro de Semiárido e Árido a não ser no Namibe.

Adriano Muicoto André avança para a necessidade de o governo provincial nos seus projectos elaborar programas de aquisição de laboratórios, pois um centro de investigação é uma mais-valia.

Explicou que a Estação Experimental tem como objectivo promover todas as investigações e criar pacotes tecnológicos para culturas de oliveiras, videiras e outros tipos de fruteiras que podem ser ensaiadas quanto à sua adaptação.

“É imperioso que o governo da província do Namibe se interesse em transformar a estação experimental em centro de investigação semiárido e árido”, acrescentou.

Defendeu a necessidade de se investir mais no sector de investigação científica, sobretudo no ramo alimentar, salientando que uma variedade descoberta agora pode alimentar o país em 100 anos.

Na opinião do engenheiro, ao produzir-se no país as sementes internamente poupa-se os fundos de importação de sementes, acrescentando mais-valias, porque as sementes produzidas são adaptadas, aumenta a produtividade, combate à pobreza e à fome.

Adriano Muicoto André acrescentou que é pretensão do sector em ajudar os camponeses com pacotes tecnológicos que lhe permitam pelo menos alcançar um nível de produção de mil quilos por hectare de milho e em outras culturas.

A Estação Experimental Agrícola do Namibe foi criado em 1974 por iniciativa do Instituto de Investigação de Agronomia de Angola.

Conta com uma mão-de-obra composta por um doutor, dois técnicos médios, igual número de técnicos básicos e trabalhadores de base.

Actualmente a Estação Experimental do Namibe está a produzir linhas homozigóticas para um processo de melhoramento da cultura de milho, a única experiência em Angola, até ao momento, bem como a desenvolver um processo de manutenção das colecções de variedades de batata-doce e de mandioca, cujos destinatários são os camponeses.

Fonte: Angop/LD

PUBLICIDADE
voltar ao topo