Economia

Distribuidores de produtos têm alimentos para três meses

dd

O presidente da Associação de Empresas de Comércio e Distribuição Moderna de Angola (Ecodima), Raul Mateus, afirmou esta sexta-feira, em Luanda, que existem produtos e bens complementares disponíveis no país para três meses.

O responsável da Ecodima falava à imprensa no final de um encontro de auscultação que juntou o Ministério do Comércio e os importadores, para aferir a reserva de alimentos existente e elaborar um plano de contingência alimentar, face à pandemia do coronavírus (COVID-19).

Segundo o gestor, o ideal seria um plano para seis meses, sublinhando que o país é auto-suficiente na produção de bebidas (água, refrigerantes e cervejas), bem como apresenta bons resultados na produção de tubérculos e lacticínios.

Raul Mateus ressaltou, igualmente, que não há défice de produtos, acrescentando que os serviços comerciais e centrais de logísticas possuem bens diversos.

Não deve haver precipitação, prosseguiu, para evitar o excessivo fluxo de pessoas nos mercados e supermercados, o que poderá desencadear eventuais contaminações pelo novo coronavírus.

TPA com Angop/AF






PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo