Economia

Clientes levantam kz 190 mil milhões no multicaixa

dd

Os usuários de multicaixa levantaram, em Fevereiro, um valor estimado em 190 mil milhões de kwanzas, equivalentes a mais de 360 milhões de dólares ao câmbio do BNA de hoje. O valor ainda assim esteve abaixo dos mais de 200 mil milhões movimentados no mesmo canal em Janeiro.

De acordo com uma publicação recente da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), em Fevereiro, foram registadas 12,5 milhões de operações, contra 13 milhões do mês anterior.
Em relação às operações homólogas (aquelas efectuadas no mesmo mês do ano anterior), levantaram-se, em Fevereiro de 2019, cerca de 160 mil milhões de kwanzas em 11,4 milhões de operações.
A subida é de mais de 30 mil milhões de kwanzas e mais de um milhão de operações, o que representa uma maior entrada dos multicaixas nas opções dos bancarizados.
Já em compras, nas Caixas Automáticas e Terminais de Pagamentos Automáticos, os registos da Emis avançam para um valor a rondar os 240 mil milhões de kwanzas de um total de 17 milhões de operações. Comparado as 12,1 milhões de operações e cerca de 170 mil milhões de kwanzas do período homólogo, o crescimento é bastante significativo, representando mais de 30 por cento.
No global, desde Fevereiro do ano passado, assiste-se a uma tendência de subida mensal nos números de operações. Igual comportamento é visto também nos outros indicadores como caixas automáticas, terminais de pagamentos e rede de multicaixa express.
As Caixas Automáticas representam 54 por cento do total de operações registados na rede, os Terminais de Pagamento Automáticos 34,6 e os serviços Multicaixa Express 10, de acordo com os dados da Emis a que o JA teve acesso.
Face ao cenário de restrições no atendimento presencial que os bancos comerciais começaram a observar, nos últimos dias, prevê-se um maior fluxo nas caixas automáticas espalhadas pelo país e operadas por 24 dos 26 bancos licenciados e em operações.
No final de Fevereiro, estavam activos 3.065 caixas automáticas. O crescimento foi de 35 novas caixas instaladas, comparativamente a Fevereiro de 2019, mas de menos seis (6) em relação aos 3.071 aparelhos activos em Janeiro deste ano.
Para os terminais de pagamentos, estimou-se em 115.212 os aparelhos activos em Fevereiro com uma taxa de evolução mensal de 64 por cento.
Quanto aos cartões activos, no final do mês em referência, estavam registados 4,7 milhões (perto de 80 por cento) e outros 1,2 inactivos.
Para a Emis, a rede multicaixa é bastante segura e está situada ao melhor nível mundial. Conforme assegura a empresa, as ATMs e o software utilizados estão certificados ao nível do que se faz melhor no mundo. A introdução do cartão com chip, em curso, visa reforçar a segurança do próprio cartão para evitar as clonagens. A principal falha de segurança, advoga, continua a ser o próprio utilizador que frequentemente mantém o seu código secreto escrito num papel ou mesmo na carta de PIN original, juntamente com o cartão.
As cifras da Emis adiantam que, em média, registam-se diariamente um milhão de operações financeiras.
Os indicadores mais recentes apontam que Angola tem 23 ATM por cada 100 mil pessoas, enquanto países como Portugal e África do Sul têm acima de 160 e 66, respectivamente. Todavia, o país supera na oferta outros africanos de referência nas tecnologias bancárias como Nigéria e Quénia que representam uma média de 17 e 10 dispositivos para cada 100 mil. Em Angola, cerca de 30 por cento da população com mais de 15 anos utiliza os cartões de débito, vulgo multicaixa.

FONTE:JA/AG

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo