Economia

Banco Nacional de Angola coloca 250 milhões de dólares em leilão

dd



O Banco Nacional de Angola (BNA) inicia hoje um leilão de divisas no valor de 250 milhões de dólares, divididos em leilões diários de 50 milhões de dólares (cerca de 45 milhões de euros).


Após cada leilão, será divulgado o montante efetivado, bem como as taxas de câmbio mínima e maxíma, número de participantes e a taxa de câmbio média resultante da sessão.
Na semana anterior, de 25 a 29 de novembro, foram colocados 269.750.700,00 dólares, divididos em tranches de 100, 50, 10 e 59.750.700,00 dólares.

O gabinete de estudos económicos do Banco Standard reviu em alta a previsão de evolução da moeda angolana face ao dólar, estimando que no final deste ano sejam precisos 449,3 kwanzas para um dólar.

A revisão em alta mostra uma redução da quantidade de kwanzas necessários para comprar um dólar, que em outubro os analistas antecipavam ser de 615,3 no final do ano.

"No seguimento de uma forte correção no mês passado, o kwanza valorizou-se 5,6% face ao dólar desde o início do mês, e estava agora a transacionar por 470,1 kwanzas para cada dólar, quando no princípio do mês estava a mais de 500", escrevem os analistas no relatório de novembro sobre os mercados financeiros, a que a Lusa teve acesso.

O dólar está hoje a negociar num valor médio de 491,25 kwanzas (490,92 na sexta-feira). Em novembro, a média mensal da taxa de câmbio no mercado secundário fixou-se nos 475,71, segundos os dados do BNA.

Na sexta-feira, o BNA anunciou uma série de medidas dirigidas ao mercado cambial, entre as quais o fim da aquisição de moeda estrangeira às companhias petrolíferas, que deverão passar a vender diretamente aos bancos comerciais a partir de 2 de janeiro de 2020.

A medida decorre do processo de normalização do mercado cambial que visa a redução da intervenção direta do Banco Nacional de Angola (BNA) no mercado, o aumento do número de participantes do lado da oferta e a dinamização do mercado cambial interbancário.

Fonte:NM/EG

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo