Cultura

Rio Kwanza retratado em livro

dd

Um livro intitulado “Kayah the Kwanza”, em inglês, que em português significa “Andar de caiaque/canoa no Rio Kwanza”, foi apresentado sexta-feira, em Luanda, pela embaixadora do Reino Unido acreditada em Angola, Jessica Hand.

A obra, lançada em Março deste ano, em Londres, retrata a aventura da primeira expedição no Rio Kwanza, feita pelos britânicos Oscar Scafidi e Alfy Weston, que em 2016 utilizaram apenas uma canoa (caiaque) de madeira dobrável para navegar num dos maiores rios de Angola.

O lançamento desse livro, com 206 páginas ainda na língua inglesa, visa mostrar ao mundo os encantos do Rio Kwanza, segundo o seu autor Oscar Scadifi.

Quanto a tradução do livro em português, o escritor referiu que estão a ser feitas as possíveis diligências, para que brevemente seja lançada a primeira edição em língua portuguesa.

Em declarações à Angop, o escritor afirmou que durante a expedição, que durou 32 dias, foram percorridos mil e 300 quilómetros da nascente (Bié) até a foz do Rio Kwanza (Oceano Atlântico).

“Nos 32 dias, eu e o meu amigo Alfy Weston navegamos ao longo do rio em direcção ao Oceano Atlântico. Durante o percurso encontramos uma série de pessoas interessantes, entre garimpeiros, agricultores, pescadores e homens da força de segurança do país”, relatou.

Explicou que nem sempre as coisas correram bem durante a expedição, pois sofreram ataques de hipopótamos, picados de insectos, afundamento em corredeira, ferimentos graves, presos e ameaçados a deportação.

Contou também que a escolha do Rio Kwanza surgiu na altura em que trabalhava em Luanda e encantou-se com a natureza e os animais fascinantes, facto que lhe motivou a escrever o livro, para mostrar ao mundo a beleza de Angola.

O lançamento da primeira edição do livro, sublinhou, teve duas mil tiragens que permitiu arrecadar mais de 25 mil dólares norte-americanos.

De acordo com Oscar Scafidi, uma parte do dinheiro arrecadado servirá para apoiar a Organização Não Governamental de Desminagem “The Halo Trust”.

Em cada livro vendido, o autor doa 25 por cento do lucro ao The Halo Trust, visando ajudar a retirar as minas terrestres de Angola até 2025.

Além do livro, que está a ser vendido ao preço de dez mil kwanzas, também fez-se um documentário sobre a expedição, que foi apresentado em festivais de cinema no Reino Unido, EUA, Canadá, Austrália e Chipre.

O conteúdo dessa aventura está a ser também analisado para a possível publicação na revista Guinness World Records, publicada anualmente no mundo e retrata a colecção de recordes e superlativos reconhecidos internacionalmente.

Oscar  Scafidi, 34 anos, é um professor de história e filosofia. Em Julho de 2019 lançou o segundo livro sobre guia turística de Angola, “Bradls travel Guide”, em inglês.

Embaixadora britânica

Na ocasião, a embaixadora britânica em Angola, Jessica Hand, considerou uma aventura fantástica e fascinante dos dois britânicos.

Lembrou, por outro lado, que em Junho deste ano, o Governo angolano anunciou o financiamento à The Halo Trust para realizar a desminagem de 153 campos minados, nos parques nacionais de Luengue-Luiana e Mavinga.

Reconheceu que Angola tem vindo a engajar continuamente a conservação da vida selvagem e a promoção do eco-turismo.

Angop/TPA

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo