Cultura

Cultura destaca dedicação de Chó do Guri no mundo das letras em Angola

dd

O Ministério da Cultura destacou neste sabado, em Luanda, a dedicação da escritora Chó do Guri no mundo das letras em Angola.

Em nota de condolencias pela morte da escritora ocorrida na madrugada de sexta-feira, vítima de doença, assinada pela titular da pasta, Carolina Cerqueira, o ministério avança que Chó do Guri faz parte dos anais da literatura angolana como uma das mais expressivas autora contemporânea.

“Fruto da sua entrega e dedicação ao mundo das letras, a escritora deixa um legado que deve ser seguido e que esperamos, possa ser, um exemplo para as novas gerações que através da escrita marcam a sociedade angolana e ajudam a valorizar a cultura nacional”,  lê-se na nota.

Chó do Guri lançou no mundo das artes  com a obra Minhas História, em 1998.

Nascida a 24 de Janeiro de 1959, na província do Kwanza Sul, Maria de Fátima começou a dedicar-se a escrita em 1986, altura em parte para Portugal com o objectivo de fazer o curso de ciências farmacêuticas.

A escritora deixa um legado constituído pelas obras "Vivências"(1996),"Morfeu"(2000),  "Bairro Operário", " Minhas História"(1998), " Chiquito da Camuxiba" e “Pulas, Bumbas, companhia Ilimitada e muita Cuca”, 2016.

Frequentou vários cursos, como de ciências farmacêuticas na Universidade Clássica de Lisboa, Portugal, e ainda neste país fez a licenciatura em Política Social pela Universidade Aberta de Lisboa.

Fonte: Angop/LD

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo