Ciência

Trump prometeu não aplicar taxas aos iPhones

dd

Donald Trump garantiu ao CEO da Apple, que os iPhones não serão afectados pelas novas taxas previstas para os produtos importados da China. A notícia é avançada pelo The New York Times com base numa fonte não identificada, que revela que a garantia foi dada pelo presidente dos EUA depois de uma reunião com Tim Cook, na Casa Branca.

Recentemente, a administração Trump fez saber que pretendia rever a lista de produtos que passariam a ser taxados. Com esta revisão, as taxas que começaram a dar que falar quando foram aplicadas ao aço e ao alumínio passaram a ser aplicadas também a vários chips e processadores que os EUA importam, refere a Reuters.

A promessa de Trump apenas pode sanar parte dos receios de Cook. Os EUA e a China têm vindo a protagonizar uma “guerra comercial” com a aplicação de taxas às importações de ambos os países. O que significa que ainda há a hipótese de a Apple vir a ser afetada por taxas ou outro tipo de retaliações que venham a ser decididas pelo governo chinês.

Entre os observadores do mercado, há quem recorde que as diferentes tentativas de interdição de produtos e equipamentos da ZTE e da Huawei nos EUA podem abrir caminho a futuras reações de bloqueio na China – e previsivelmente a Apple seria das marcas mais apetecíveis para esse tipo de “vingança” fiscal. De fora das tecnologias já surgiram notícias que dão conta de que os carros da Ford já começaram a registar atrasos nos portos chineses.

Em declarações reproduzidas pelo South China Morning Post, Wei Jianguo, antigo viceministro do comércio chinês, não só dá como certa a aplicação de taxas a produtos ou marcas americanas, como ainda aponta uma lista de potenciais produtos afetados: «Aviação, chips, e energia importada dos EUA podem vir a ser alvo (de taxas na China)». Turismo, transportes e educação são outras áreas apontadas como suscetíveis de virem a ser usadas como retaliação.

Fonte: Exame Informática / EB

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo