Outras modalidades

Vettel admite que precisa ser melhor na próxima temporada da F1

dd

Tetracampeão do mundo e quinto colocado da temporada 2019 da Fórmula 1, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, admitiu que precisará melhorar no próximo campeonato da categoria máxima do automobilismo mundial, em 2020.

A declaração de Vettel vem após um ano complicado para o piloto, que sofreu com a forte concorrência do novo companheiro, o jovem monegasco Charles Leclerc, quarto colocado no campeonato.

Além da disputa interna do time de Maranello, o alemão foi irregular e cometeu erros evitáveis, o que acabou contribuindo para que o tetracampeão terminasse 2019 em sua pior posição desde que corre pela Ferrari, de 2015 em diante.

O quinto lugar no mundial de pilotos iguala o pior resultado de Vettel por uma equipe competitiva: em 2014, seu último ano pela Red Bull, o piloto também foi batido pelo então companheiro Daniel Ricciardo, da Austrália, terminando o ano em quinto.

Questionado pela Sky Sports sobre as dificuldades de 2019, Vettel respondeu: "Não tivemos o ano que esperávamos, ponto final. Acho que as razões são claras, as lições são claras e agora cabe a nós aceitá-las".

"Como equipe, devemos ter um desempenho mais forte. Como indivíduo, acho que posso e devo fazer melhor. Eu posso fazer melhor, não foi um ótimo ano da minha parte", admitiu o tetracampeão da F1.

Apesar de tudo, o piloto alemão insistiu que sua temporada "não foi tão ruim quanto parece", explicando que "havia muitas pequenas coisas provavelmente levando a uma imagem não tão boa no final".

"Ainda assim, sou o primeiro a me cobrar e, sendo sincero, sei que posso fazer melhor", ponderou o representante da Scuderia Ferrari. “Com certeza, essa é a meta para o próximo ano, dar um passo à frente”.

“E espero que também consigamos um pacote mais forte para lutar com a Mercedes e a Red Bull”, acrescentou o competidor germânico, que encerro o campeonato de 2019 chegando em quinto no GP de Abu Dhabi, neste domingo.

A marca italiana completou nove décadas no fim de semana do GP da Itália. A equipe não vence um mundial desde 2008, quando foi campeã de construtores. O último título de pilotos foi o de Kimi Raikkonen, em 2007, o único da era pós Schumacher.

Fonte:Motorsport/RM

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo