Outras modalidades

Ross Brawn diz que "não será fácil" reconstruir confiança de Vettel

dd

Para Ross Brawn, é essencial que equipe priorize recuperação de Vettel para 2020

Ex-chefe de equipe da Ferrari, Ross Brawn acredita que seja “essencial” que a equipe busque reconstruir a confiança de Sebastian Vettel para a próxima temporada da Fórmula 1. A declaração vem após os erros do alemão no GP da Itália, vencido por seu companheiro, Charles Leclerc.

Vettel rodou sozinho na curva Ascari logo no início da prova em Monza e em seguida foi punido por voltar à pista de forma insegura e colidir no carro de Lance Stroll. Com a penalidade, o tetracampeão está a três pontos de receber uma suspensão. Se acontecer, ele teria que ficar de fora de uma etapa da F1.

O alemão também está sob pressão para manter sua reputação como líder dentro da Ferrari, depois de seu companheiro ter conquistado duas vitórias consecutivas, na Bélgica e na Itália.

“Vettel é claramente um dos gigantes do nosso esporte, mas neste momento difícil ele realmente precisa de apoio do time para reconquistar a confiança que parece ter perdido”, disse o agora diretor esportivo da F1 Brawn.

“Isso, aliado ao desenvolvimento do carro, precisam ser as prioridades de Mattia Binotto nas próximas semanas. Não será fácil, mas é essencial, especialmente para 2020.”.

Brawn suspeitou que Vettel se sentiu “deixado para trás” após a farsa do treino classificatório no sábado, quando Leclerc abandonou o pacto acordado de dar vácuo a Vettel porque todos os pilotos estavam atrasando uns aos outros na pista para evitarem favorecer os rivais.

“No entanto, o que aconteceu na corrida foi culpa exclusiva de Vettel”, disse Brawn. “Ele cometeu dois erros na sétima volta, ao rodar e ao acertar Stroll. Isso fica ainda pior se comparado a vitória dupla de Leclerc em Spa e Monza”.

“É inevitável o fato de que não importa quem seja o piloto e de quantas coisas boas tenha feito no time, seu primeiro rival é o companheiro de equipe”.

“Até certo ponto, Sebastian está experimentando o mesmo que sentiu na Red Bull em seu último ano lá, em 2014, quando ele se viu lutando contra Daniel Ricciardo, um novato muito forte em corridas”.

A pilotagem de Leclerc foi examinada no domingo por conta de duas manobras para se defender de Hamilton. Mas Brawn elogiou o jovem de 21 anos e disse que a corrida o lembrou do GP da Itália de 2003, quando Michael Schumacher e Juan Pablo Montoya lutaram pela vitória.

“O homem da Ferrari não baixou a guarda e foi ao limite do que as regras permitem, como grandes campeões sempre devem fazer”, disse Brawn sobre o monegasco. “De fato, Leclerc foi muito astuto na forma como lidou com a situação naquela classificação bizarra no sábado”.

“Após sua vitória em Spa na semana anterior, Charles teve um fim de semana incrível. O que mais impressiona nele é quão rápido ele aprende a partir de tudo que faz, melhora o tempo todo, como piloto e como homem”.

Brawn também disse que o jovem piloto da Ferrari está mostrando sinais que lembram o heptacampeão mundial Schumacher, após vencer Spa e Monza consecutivamente.

“A último homem da equipe a vencer nessas duas corridas foi Michael em 1996. Talvez a história esteja começando a se repetir”.

Vettel acumula erros na Ferrari

Alemão chegou badalado à equipe italiana e logo nas suas primeiras corridas conseguiu mostrar que havia chegado para liderar o retorno ao topo da F1. No entanto, os erros e oscilações em sua performance foram determinantes em alguns momentos chave que podem ter custado a chance de lutar pelo título, sobretudo em 2018. Fizemos uma galeria com os erros mais bizarros do tetracampeão nos últimos anos.

Fonte:F1/RM

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo