Outras modalidades

RÁDIOS: Will Smith diz que ensinou Hamilton a vencer

dd

Alemão da Ferrari diz que temporada foi complicada para equipe e minimiza erros na Alemanha e na Itália

Sebastian Vettel disse que, de certa forma, a temporada de 2018 tem sido "definitivamente" sua mais difícil na Fórmula 1 após perder o título para Lewis Hamilton, da Mercedes.

Vettel foi eliminado da disputa pelo campeonato no México no último final de semana, tendo sido derrotado por Hamilton em um duelo acirrado pela segunda temporada consecutiva. O piloto da Ferrari cometeu vários erros neste ano, incluindo seu acidente na liderança na Alemanha e rodadas em várias ocasiões na segunda metade do ano.

Perguntado se este foi seu ano mais difícil na F1, Vettel disse: “talvez, eu não sei – eu preciso pensar sobre isso, mas em alguns aspectos, definitivamente sim”.

“Foi definitivamente diferente dos outros anos, mas, no entanto, acho que não deveríamos negligenciar o fato de termos um pacote muito forte. Fomos capazes de vencer corridas, não estamos mais disputando o campeonato de pilotos, mas podemos lutar pelos construtores.”

“Então, mesmo que tenha sido um ano difícil, ainda acho que foi um bom ano para nós como time.”

"Ainda estamos melhorando, mas certamente também houve coisas que se tornaram aparentes e que precisam ser consertadas para que possamos realizar a etapa final que estamos procurando."

Sair da pista de pneus slick na Alemanha contribuiu negativamente para a temporada, com Hamilton, que havia saído de 14º, se aproveitando do Safety Car para seguir na pista.

Vettel rodou na primeira volta na Itália, com Hamilton o ultrapassando e vencendo naquele dia.

Vettel voltou a rodar no Japão tentando passar Max Verstappen e nos Estados Unidos, após outra colisão de primeira volta, desta vez com Daniel Ricciardo. No entanto, o tricampeão mundial disse que os erros não foram tão significativos quanto a capacidade da Mercedes de estabelecer uma vantagem de ritmo a partir de Singapura.

"Para mim foi mais Singapura", disse ele quando perguntado se Alemanha ou a Itália foram os momentos decisivos da temporada.

"A partir de Singapura, nós simplesmente não tínhamos o ritmo para acompanhar a Mercedes por algumas corridas e, obviamente, algumas outras coisas aconteceram que não ajudaram. Não conseguimos pontuar devido a erros que cometemos, erros que cometi.”

"Eu não posso ser muito duro comigo mesmo com o que aconteceu na Alemanha, porque cometi erros muito maiores este ano, mas obviamente este foi o mais caro."

"É parte das corridas: quando você vai ao limite, às vezes você pode ir um pouco além."

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo