Outras modalidades

Chefe da Ferrari: Alcançar Mercedes não pode ser nosso único alvo

dd

Mattia Binotto reitera que o foco do time de Maranello está nas melhorias aerodinâmicas

Em meio à má fase da Ferrari na atual temporada da Fórmula 1, o chefe da equipe italiana, Mattia Binotto, disse que o time de Maranello não pode ter como único objetivo em 2019 apenas alcançar a Mercedes.

Segundo o dirigente, um dos focos da escuderia vermelha é aumentar a pressão aerodinâmica de seu carro, de modo a atenuar os problemas do SF90 em circuitos de baixa velocidade, como se viu no GP da Hungria.

A Ferrari está tentando corrigir a deficiência aerodinâmica com uma série de atualizações, mas está ciente de que ainda não é suficiente. "Estamos com muita falta de downforce", disse o chefe da equipe.

"Certamente estamos buscando mais downforce, já neste ano. Na segunda parte da temporada, vamos tentar colocar o máximo de downforce que podemos, e o próximo ano exigirá ainda mais", comentou, tendo em vista o calendário de 2020 (entenda na galeria abaixo).

"Sabemos que nossos concorrentes estão se desenvolvendo e os carros do próximo ano terão bastante força descendente. Não podemos considerar a desvantagem de hoje como um alvo único. Tem que ser mais do que isso”, ponderou o italiano.

A performance da Ferrari no GP da Hungria deixou os dois carros vermelhos a mais de um minuto do vencedor, Lewis Hamilton, da Mercedes, no final. Binotto, porém, não acredita que a equipe já tenha que muar o foco para o ano que vem.

"Não apenas porque teremos os mesmos regulamentos, mas também porque o que fizermos neste ano será para o benefício do carro do próximo ano também”, explicou o chefe da equipe, que substituiu Maurizio Arrivabene neste ano.


CALENDÁRIO DE 2020 DEVE SER O MAIOR DA HISTÓRIA DA F1

O Motorsport.com apurou que o GP do México deve renovar com a F1 por mais três anos. E com a provável manutenção do GP da Espanha por pelo menos mais um ano, a categoria deverá perder uma de suas melhores provas de 2019: o GP da Alemanha.

A organização da categoria pretendia manter o número de 21 provas para 2020, mas os planos acabaram mudando e a tendência é que a próxima temporada tenha 22 corridas, uma quantia recorde.

Fonte:F1/RM

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo