Outras modalidades

Campo de Treino custa mais de 60 mil Euros

dd

O primeiro curso para treinadores e atletas da CPLP ao nível do desporto adaptado, que decorre em Luanda, desde segunda-feira (19), custa mais de 60 mil Euros, afirmou à Angop, José Cabo Montes, gerente de programas de desenvolvimento da "Agitos Fundation".

O responsável do órgão que patrocina o evento, que conta com 50 participantes entre técnicos e atletas de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné Bissau, indicou que o valor é gasto fundamentalmente com transportes e hospedagens.

Trata-se de um projecto, disse, cujo objetivo é fortalecer as capacidades dos Comités Paralímpicos Nacionais (NPCs) e propiciar o desenvolvimento nas regiões.

A formação decorre nas disciplinas de atletismo e halterofilismo até sexta-feira no Decífer Sport Resort, na Urbanização Lar do Patriota. As aulas práticas serão realizadas no estádio 11 de Novembro e nos Coqueiros.

José Montes explicou terem sido as duas modalidades (atletismo e halterofilismo)  identificadas como sendo das mais praticadas e evoluídas em África, daí a prioridade nas formações no programa da instituição.

Malawi, em Julho, e Etiópia, em Setembro próximo, serão os palcos destas acções formativas, segundo a fonte da Angop.

A “Agitos Fundation” foi criada em 2012 por ocasião dos Jogos Paralímpicos de Londres. Actua de modo a garantir oportunidades iguais de participação dos atletas deficientes em todo o mundo.

Em atletismo Angola tem seis presenças em Jogos Paralímpicos, das quais subiu ao podium em três ocasiões por José Sayovo, designadamente, Atenas2004 (tripla medalha de ouro nos 100, 200 e 400 metros e respectivos recordes), Pequim2008 (três medalhas de prata) e Londres2012 (uma medalha de ouro e outra de bronze).

Ao nível da modalidade de halterofilismo é ainda pioneira. Foi estreante nos Jogos Pan-africanos disputados em 2015 no Congo Brazzaville e desde então existe um movimento “revolucionário” por todo o país. Luanda, liderada por António Baltazar, e Moxico, por Ilídio Simão Lote, têm sido as províncias com maior movimento.

Fonte: Angop/LD

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo