Internacional

15 de Março de 2013

Adoptada protecção para 50 espécies de animais e plantas

Adoptada protecção para 50 espécies de animais e plantas

A Convenção para o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES) classificou ontem como “histórico” o resultado das reuniões que terminaram com a adopção de medidas de protecção para cerca de 50 espécies de animais e plantas.

 Os países latino-americanos estiveram em destaque neste encontro, ao liderarem um bloco internacional a favor de propostas para proteger e regular as capturas de cinco espécies de tubarões e duas de raias.

“Com a aprovação destas propostas, começa uma nova era em iniciativas para a defesa do ecossistema marinho”, afirmou Elisabetz Tailor, líder da comitiva da Colômbia na conferência.

As propostas aprovadas só deverão entrar em vigor no segundo semestre de 2014, pois ainda falta que os países membros da CITES cheguem a acordo quanto às quotas de captura.

 Segundo o WWF, um dos maiores avanços da 16ª edição da CITES, foi a criação de medidas para combater as redes organizadas dedicadas ao tráfico de espécies, como o elefante, que todos os anos perde cerca de 30.000 exemplares.

 A África do Sul, país escolhido para acolher a próxima edição da CITES, em 2016, pediu uma maior cooperação internacional para combater a caça furtiva de rinocerontes, que tem vindo a crescer no país.

Em relação à flora, Madagáscar reclamou mais ajudas para salvar uma dezena de espécies de plantas e árvores que se encontram ameaçadas. “A situação em Madagáscar é alarmante. Já perdeu a maioria das suas florestas nativas, principalmente na costa leste. A partir desta conferência, a CITES vai proteger várias espécies de flora da ilha africana”, disse o especialista em flora da Traffic, David Newton.

A CITES, criada em 1973, regula o comércio internacional de cerca de 35.000 espécies de animais e plantas, assegurando a sua sobrevivência.

« voltar