Futebol Nacional

Presidente da FAF arrisca castigo por causa do ASA

dd

A inscrição do ASA, no torneio de apuramento para o Girabola 2020/21, pode custar um pesado castigo ao presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, caso se confirme que o clube aviador foi autorizado a jogar pelo dirigente máximo da instituição.

Contactado hoje pelo Jornal de Angola, o responsável pelo Conselho Técnico Desportivo (CTD), Jeremias Simão, confirmou a tese defendida segunda-feira por António Alegre, comentador desportivo, no programa Prolongamento da TV Zimbo, a dar conta de que o ASA beneficiou de uma autorização “especial” do líder da FAF.
“Chamei hoje o senhor José Carlos, presidente do Conselho de Disciplina, que se fez acompanhar de um vogal, para mostrar que o Conselho Técnico Desportivo não teve qualquer responsabilidade no processo de inscrição do ASA. Ficou claro que houve autorização do presidente, que remeteu o expediente ao secretário-geral”, esclareceu Jeremias Simão.
Caso se confirme a imparcialidade publicitada pelo número um do CD, aos microfones da Rádio Cinco, Artur Almeida pode ter o mesmo tratamento dado ao responsável do CTD e ao vice-presidente Adão Costa, membros do elenco directivo punidos internamente.
“De uma coisa a sociedade futebolística angolana pode ter a certeza. Quem praticou esses actos vai ser dura e severamente sancionado, porque vai ao arrepio daquilo que são as normas. O nosso compromisso é com o futebol e com a aplicação das normas. Não temos filhos e nem temos enteados”, prometeu José Carlos, depois de apontar o suspeito:
“Na quarta-feira, vamos ter de averiguar o que realmente aconteceu, considerando que não há nenhuma deliberação do Conselho de Disciplina a levantar os impedimentos a que o ASA está sancionado neste momento. Surpreendentemente, tomámos nota de que o ASA está a competir para a Segunda Divisão. Portanto, é o Conselho Técnico Desportivo que nos vai ter de explicar isso”.
A referência feita ao CTD levou Jeremias Simão a passar ao ataque. “O senhor José Carlos terá de usar o mesmo canal para corrigir a afirmação feita. Caso contrário, farei uso do direito de resposta”. Está feito o anúncio da disputa dos órgãos do elenco federativo fora dos gabinetes.
Estimado por Artur Almeida, pelo trabalho desenvolvido na Federação, o dirigente lembrou que em caso de levantamento de algum impedimento, o Conselho de Disciplina comunica, por nota interna. “Isso não aconteceu relativamente ao ASA. Vamos averiguar. Procurar saber o que realmente aconteceu. Em função do que colhermos, obviamente responsabilidades serão atribuídas a quem tenha praticado os actos. Porque não pode o ASA ter um tratamento diferente dos outros clubes”.

Dívidas com atletas
Os aviadores estão impedido de inscrever jogadores, por dívidas com ex-atletas, mas defrontaram na sexta-feira o ASK Dragão do Uíge, a quem venceram por 2-1, no Estádio Municipal dos Coqueiros, para a primeira jornada da Série A da corrida ao Girabola.
De acordo com o presidente da recém-criada Associação Nacional dos Futebolistas de Angola (Anfa), Igor Nascimento, mais de dez jogadores, no activo e retirados do futebol, com destaque para Milex, Paz e Mariano, queixam-se de incumprimentos contratuais, que originaram a proibição de registar novos contratos, até liquidar as dívidas, à semelhança do Interclube e do Progresso Sambizanga, no Girabola.
“Para a nossa surpresa, vimos no comunicado que o ASA tinha jogo na sexta-feira, com o AS Dragão do Uíge. Aí voltamos a contactar a Federação, pois não faria qualquer sentido a existência de dualidade de critérios, porque outros clubes estão a cumprir”, explicou Igor Nascimento.

Fonte: JA/BA

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo