Futebol Nacional

Palancas Negras iniciam hoje treinos para a visita à Gâmbia

dd

A Selecção Nacional de Honras de futebol dá início hoje às 16h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro, à preparação para o jogo de sábado, em Banjul, frente à similar da Gâmbia, referente à primeira "mão" da preliminar de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2022, a decorrer no Qatar.

Nesta primeira sessão de treino, o técnico Pedro Gonçalves deve contar com 23 dos 24 jogadores convocados para o desafio diante dos gambianos, sendo que Núrio Fortuna, do Charleroi da Bélgica, é o único dos que jogam no estrangeiro a juntar-se hoje à equipa nacional.
À semelhança de Zito Luvumbo, o lateral esquerdo da formação belga é uma das novidades para a “Operação Gâmbia”.
Provisoriamente à frente dos Palancas Negras, Pedro Gonçalves vai centralizar o apronto do conjunto angolano no trabalho físico e técnico com bola, finalizando a preparação da equipa com um jogo treino, a fim de observar o desempenho individual de cada um dos integrantes do “onze” nacional.
Em Luanda, a formação angolana realiza apenas dois treinos hoje e amanhã, devendo viajar na quarta-feira para o local do jogo. Com o objectivo de ambientar-se ao clima de Banjul e evitar situações anómalas, o treinador dos Palancas Negras opta por chegar mais cedo ao reduto do adversário.
Para a deslocação à Gâmbia, o substituto provisório de Srdjan Vasiljevic leva 23 jogadores, deixando de fora um dos 24 convocados. A expectativa dos amantes da modalidade reside no jogador e no sector da equipa sacrificados, uma vez que convocou três guarda-redes, cinco defesas, oito médios e igual número de avançados.
Depois do fracasso no CAN do Egipto, e o afastamento na última eliminatória de apuramento para o CHAN da Etiópia em 2020, o também treinador dos Sub-17 espera devolver a confiança aos adeptos do futebol angolano desavindos com os Palancas Negras, após os resultados menos conseguidos nas competições sob a égide da Confederação Africana de Futebol (CAF).

Histórico de jogos

Angola e Gâmbia disputam o terceiro desafio, sendo o primeiro oficial entre ambas as selecções. Palancas Negras e Escorpiões defrontaram-se pela primeira vez em jogo amistoso em 2010, com empate (1-1). Dois anos depois, os dois conjuntos voltaram a empatar a um golo, no segundo particular.
Fazem parte dos convocados de Pedro Gonçalves, nomeadamente Tony Cabaça, Ndulo e Landu (guarda-redes); Bastos Quissanga, Massunguna, Eddie Afonso, Isaac, Paizo, Wilson, Núrio Fortuna e Fernando Quissanga (defesas); Além, Fredy, Herenilson, Macaia, Show, Vá e Zito Luvumbo (médios); Mabululu, Yano, Fábio Abreu, Mateus Galiano e Wilson Eduardo (avançados).

Escorpiões pretendem sair do anonimato

Apesar de nunca ter participado numa fase final do Campeonato do Mundo e da Taça de África das Nações, a Gâmbia é uma selecção forte a jogar na condição de visitada, e vale pelo colectivo.
Na deslocação a Banjul, os Palancas Negras têm seguramente uma tarefa bastante complicada, uma vez que o seleccionador gambiano, o belga Tom Saintfiet, chamou as principais estrelas dos Escorpiões que jogam no estrangeiro, com realce para o avançado Musa Barrow, a militar no Atlanta de Itália.
Com 20 anos de idade, Mussa Barrow é o abono de família do conjunto anfitrião.
Apesar de não ser um frequentador da ribalta continental, a selecção da Gâmbia é um adversário a respeitar e tem sido uma grata surpresa.
No particular disputado em Junho deste ano, a Gâmbia derrotou Marrocos, por 1-0, em pleno Estádio Mohammed V, em Casablanca, com golo solitário de Mussa Barrow. O treinador belga está a forjar uma selecção forte e capaz, para que dentro de dois anos surpreenda a África do futebol.
Até então nas provas internacionais, a Gâmbia teve melhores prestações na Taça Amílcar Cabral, onde foi segundo classificado em três ocasiões em 1981, 85 e 2001. Em 1986 e 1993, a Gâmbia terminou a competição, na terceira posição. Foi quarto colocado, em 1984, 91 e 97. Nas competições oficiais, a Gâmbia estreou-se com vitória diante do Senegal, ao vencer por 3-2, em 1962.
Em 2014, a Confederação Africana de Futebol (CAF) suspendeu a Federação da Gâmbia por um período de 2 anos das provas oficiais, devido à falsificação de documentos de atletas num torneio de futebol júnio

Fonte: JA/ JS

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo