Futebol Nacional

Girabola2018: Falta de dinheiro obriga Recreativo da Caála a redefinir estratégias

dd

Horácio Mosquito - Presidente do Recreativo da Caála

Foto: Angop

Horácio Mosquito - Presidente do Recreativo da Caála

Foto: Angop

A direcção do Clube Recreativo da Caála, da província do Huambo, viu-se forçada, este ano, a redefinir a sua estratégia no tocante à constituição do seu plantel de futebol.

Em declarações à imprensa, terça-feira, o presidente de direcção, Horácio Mosquito, assumiu que o clube teve que tomar medidas do fórum financeiro e estratégico, para poder disputar o Girabola e a Taça de Angola sem muitos sobressaltos.

Como consequência, informou, o plantel para esta época será constituído por futebolistas formados no clube, aos quais se vão juntar oito atletas experientes,  que em 2017 já representaram o conjunto.

Disse tratar-se dos veteranos Boneco (guarda-redes), Silva, Campos, Adilson (defesas), Dudú, Vovó, Gildo (médios) e Pedro (avançado), confirmando, porém, estar em negociações com outros clubes para cedência de futebolistas jovens sem espaço nos respectivos planteis.

Entre as muitas medidas tomadas, por falta de dinheiro, Horácio Mosquito disse que o orçamento do clube foi reduzido para metade, comparando com 2017, sendo que os jogadores deverão viajar muitas vezes de autocarro e regressar no final dos jogos, para evitar despesas com alojamento e alimentação em hotéis.

Informou também que os futebolistas do clube serão obrigados a residir na cidade da Caála onde as rendas de casa são mais baratas que na cidade do Huambo, a 23 quilómetros, evitando, também, despesas com a transportação dos mesmos para os treinos e regresso às suas casas.

Quanto aos salários, Horácio Mosquito deu a conhecer que a direcção do clube já definiu os valores máximos e mínimos, mas muito inferiores dos que eram praticados na época passada.

Sublinhou, porém, que a adopção destas medidas estão alinhadas ao actual momento financeiro menos favorável que os caalenses vivem, o pior desde que ascenderam ao Girabola, em 2009.

“O nosso futebol, infelizmente, é um saco roto para quem queira investir nele. Por isso, este ano, optamos redefinir a nossa estratégia, mas mantendo a ambição de vencer, formando um plantel com atletas saídos dos juniores e cujo potencial nos permite, futuramente, obter bons resultados desportivos e financeiros”, justificou.

O conjunto iniciou hoje, terça-feira, a realizar os exames médicos que antecedem a preparação física e técnica da época futebolística, cuja meta é melhorar o 9º lugar obtido no Girabola passado e conquistar a Taça de Angola.

De fora do plantel anterior estão Lókwa, Langana (guarda-redes), Latifou, História, Tombé, Nuno, Jó, Yong, Lelé (defesas), Ateba, Elizur, Filião, Thierry, Loló, Lúcio, Malamba, Efembergue (médios), Careca, Edoa, Love, Landry e Zeca (avançados).

Na equipa técnica, o treinador principal David Dias mantem-se, tal como os adjuntos Luís Aires e Severino Capessa, enquanto Yamba Asha vai ser substituído por Luís Guerreiro.

Fonte: Angop/LD

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo

Hoje

22°C

Amanhã

Depois

Hoje

31°C

Amanhã

Depois

Hoje

29°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois

Hoje

31°C

Amanhã

Depois

Hoje

19°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

30°C

Amanhã

Depois

Hoje

23°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

27°C

Amanhã

Depois

Hoje

30°C

Amanhã

Depois

Hoje

29°C

Amanhã

Depois

Hoje

24°C

Amanhã

Depois

Hoje

28°C

Amanhã

Depois

Hoje

31°C

Amanhã

Depois

Hoje

25°C

Amanhã

Depois