Futebol Internacional

Selecção Nacional Sub-17 derrotada no teste com o Progresso

dd

A Selecção Nacional Sub-17 de Futebol perdeu,ontem diante da equipa Sub-20 do Progresso Sambizanga, por 0-2, no Estádio da Cidadela, em Luanda, no quadro da preparação para a disputa da XVIII edição do Campeonato do Mundo, a decorrer de 26 de Outubro a 17 de Novembro, no Brasil, com a participação de 24 países.

Os golos dos Sambilas foram apontados por Isaac e Beni na etapa complementar da partida, que serviu para o corpo técnico da formação nacional identificar e efectuar as correcções durante as sessões de treino da próxima semana. Este quarto teste do combinado nacional foi marcado por duas partes distintas. A primeira foi mal jogada pelos mundialistas, que erravam constantemente nas saídas da defesa para as acções ofensivas.

Na segunda, a Selecção Nacional melhorou nalguns aspectos, mas insuficiente para evitar a segunda derrota nos quatros jogos de preparação já disputados. Silvestre "Pelé", técnico assistente de Pedro Gonçalves, reconheceu alguns erros e falta de automatismos no colectivo, mas considerou que o grupo está a evoluir paulatinamente nas sessões de treino. "Temos a certeza de que os trabalhos estão a correr bem. Os meninos estão a subir de rendimento, o que dá certo alento à equipa técnica. Vamos corrigir os erros que temos estado a cometer", disse à imprensa no final do amigável.

Antes do Mundial , os Sub-17 participam de 20 a 26 deste mês na II edição do Torneio Internacional de Desenvolvimento, na cidade de Istambul, Turquia. A Selecção Nacional seguem para a capital turca no dia 20 do corrente, com uma delegação de 30 pessoas. Após o regresso a Luanda, a Selecção Nacional desloca-se para a cidade de Blantyre, capital do Malawi, onde de 11 a 20 de Outubro vai competir na Taça Cosafa, integrada no Grupo B, ao lado de Moçambique, Lesotho e Ilhas Comores. Na próxima quarta-feira enfrenta o Interclube, no mesmo horário, em desafio marcado para a antiga catedral do futebol nacional.

Fonte:Ang/JS

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo