Futebol Internacional

Festa do andebol africano começa hoje na Tunísia

dd

Tunis, capital da Tunísia é a partir de hoje a capital do andebol africano, ao reunir os melhores executantes do continente, numa disputa que se estende ate ao dia 26 do corrente.

Dezassete selecções disputam o título da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, CAN, que começa amanhã em Hamamet e Radès, com a equipa anfitriã, líder do ranking continental, a assumir o favoritismo na luta pela conquista do ceptro.
A Tunísia, com 10 medalhas de ouro conquistadas em 23 participações, tem ainda no palmarés sete segundos lugares e seis terceiros, sendo por isso a selecção com pergaminhos mais fortes, pelo que se apresenta como a mais séria candidata à conquista do título continental, estatuto que ganha mais força por acolher a prova e poder contar com o apoio dos seus exigentes adeptos, que naturalmente pretendem ver aumentar o pecúlio de vitórias na competição.
Mas, para chegar ao topo da classificação final, os tunisinos vão contar certamente com a forte oposição do Egipto, terceiro no ranking africano com 18 conquistas, sendo seis medalhas de ouro, outras tantas de prata e bronze.
Na luta pelo ceptro entram também Angola e Argélia. Os angolanos, que nas ultimas duas edições-2016 e 2018, ocuparam o lugar mais baixo do pódio, subiram a fasquia nos objectivos e almejam mais do que a medalha de bronze, pelo que prometem se intrometer na luta entre os rivais magrebinos.
A Argélia, segunda no ranking africanos também tem uma palavra a dizer. Aliás, as dezoito conquistas mostra a força do seu andebol, apesar de nas últimas edições ter sido ofuscada pelo sete angolano.
Porém, a outras selecções não vieram, certamente, para esta competição para verem a banda a passar, pelo que vão procurar esgrimir os seus argumentos andebolísticos para se juntarem a elite do andebol continental.
Colocados no grupo C, os tunisinos vão defrontar na fase preliminar as selecções dos Camarões, Costa do Marfim, Cabo Verde, e apresentam-se como os principais favoritos a chegar aos quartos-de-final da competição, deixando a luta pela outra vaga para os outros integrantes da série.
No Grupo A, o Egipto não vai ter certamente grande oposição para chegar à fase seguinte da competição, numa disputa com a República Democrática do Congo, Guiné Conacri e Quénia, selecções que procuram um lugar ao sol, mas com pouca estaleca em termos competitivos.
Angola encabeça o Grupo B, onde tem a concorrência do Gabão, Líbia e Nigéria, com quem mede forças amanhã às 14h00, no desafio de estreia.
Os Guerreiros de Angola vão certamente procurar confirmar o favoritismo na série e deixar a luta pela outra vaga para a Nigéria, Líbia e Gabão.
Aliás, a conquista da medalha de ouro nos Jogos Africanos, disputados o ano passado em Rabat, Marrocos, foi uma amostra de que o andebol angolano pretende assumir maior protagonismo no continente.
No grupo D, Marrocos aparece teoricamente como o mais forte e com legitimidade para ambicionar o primeiro lugar, que vai ter de disputar com a Argélia, um dos candidatos da série aos quartos-de-final, numa refrega onde entram também o Congo Brazzaville, o Senegal e a Zâmbia. Marrocos e Argélia são claramente os favoritos para a fase seguinte, na única série composta por cinco equipas.

Angola estreia frente à Nigéria
A Selecção Nacional de andebol sénior masculina estreia amanhã, às 14h00, diante da Nigéria, em partida inaugural do Grupo B, da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, com a ambição de conquistar os primeiros pontos na competição e deste modo mostrar a pretensão de assumir o estatuto de candidato ao lugar cimeiro da série.
O primeiro dia de competição começa às 10h00, com os jogos Costa do Marfim - Camarões e República Democrática do Congo - Quénia. O cartaz inscreve ainda os jogos, Argélia - Zâmbia, às 12h00, Marrocos-Congo,12h00, Egipto - Guiné Conacri, 14h00, Gabão - Líbia, 16h00, e Tunísia -Cabo Verde, às 18h30.
Para a prova, o seleccionador Nelson Catito tem à disposição Geovani Muachissengue e Custódio (guarda-redes); Gabriel Teka, Agnelo Kitongo e Jairoslav Aguiar (pivôs); Manuel Nascimento, Romé Hebo e Edgar Abreu (universais); Mário Tati, Feliciano Coveiro, Edvaldo Ferreira e Sérgio Lopes (laterais).
Completam o grupo os pontas Adilson Maneco, Elsemar Pedro, Otoniel Pascoal e Cláudio Chicola.

Fonte: JA/JS

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo