Futebol Internacional

Covid-19 dá prejuízos avultados ao desporto no mundo

dd

A pandemia de Covid-19 deixou o desporto em alerta. Já não há volta a dar. É caso para dizer que se “o desporto dá saúde, o coronavírus dá prejuízos”. O impacto a nível global ganhou proporções alarmantes, com perdas sociais, económicas e desportivas incalculáveis.

O coronavírus obrigou ao cancelamento das principais ligas das diferentes modalidades, e paira a incerteza relativamente à realização de eventos mais mediáticos, como os Jogos Olímpicos, em Tóquio, NBA, Mundial de Fórmula-1, enquanto o Campeonato Europeu de futebol foi reprogramado para 2021. No início algumas federações internacionais e continentais tentaram tapar o sol com a peneira, depois caíram na real, optando por jogos sem acesso ao público, culminando com a paralisação total.

Em Angola, o desporto também está suspenso. Que país desportivamente falando teremos se a situação evoluir? Estamos preparados para lidar com a pandemia cujo efeito é visível? No país em geral, até ao momento temos dois casos positivos.
Os efeitos da pandemia de coronavírus ao nível da movimentação financeira tem impacto significativo em várias disciplinas. A suspensão de competições, por tempo indeterminado, deixa os clubes de mãos atadas, em termos de receitas.

Cancelamentos e adiamentos de provas

No futebol, as principais Ligas da Europa, Ásia e América do Sul foram adiadas. A Itália, país europeu mais atingido pelo coronavírus, suspendeu todas as competições até 4 de Abril. A França terá jogos à porta fechada até 15 do mesmo mês nas duas principais divisões.
Portugal também suspendeu as provas por tempo indeterminado, assim como cinco países sul-americanos, nomeadamente a Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Paraguai.

Regresso da Champion

A previsão é que a Champion regresse a 5 de Maio, e a final seja disputada a 27 de Junho. Três dias antes, acontece a decisão da Liga Europa, prova com regresso marcado para 30 de Abril. O Europeu masculino foi remarcado para 2021, com início a 11 de Junho e término a 11 de Julho.
No mesmo período vai decorrer a Copa América, de acordo com o comunicado da CONMEBOL. Com o alastrar da pandemia, a CONMEBOL suspendeu por tempo indeterminado a disputa da Taça Libertadores, bem como as duas primeiras rondas das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo do Qatar, em 2022.

Mundial de clubes

Em relação às provas organizadas pela FIFA, Gianni Infantino, presidente do organismo que tutela o futebol mundial, admitiu a possibilidade de recalendarizar o Mundial de Clubes deste ano, na China, pode ser alterado para 2021, 2022 ou 2023.
A Confederação Africana de Futebol (CAF) anunciou a suspensão do CHAN'2020. A prova devia arrancar a 4 de Abril, nos Camarões e terminar a 25 do mesmo mês.  "A competição realizar-se-á assim que as condições o permitirem", pode ler-se no comunicado da CAF.

Motores

Na Ásia, o início dos campeonatos sul-coreano e chinês de futebol foram adiados indefinidamente. Na Fórmula-1, os organizadores do Grande Prémio da Austrália, etapa de estreia do Mundial, decidiram cancelar a realização.
O cancelamento ou adiamento do Grande Prémio, segundo os estudiosos, gera prejuízos directos na ordem dos 55/60 milhões de dólares. Quanto ao GP da China, do Bahrain e do Vietname, que estreia no calendário oficial da temporada, foram adiados "sine die".
Nos desportos motorizados, o Grande Prémio da MotoGP da Tailândia foi retardado. O Grande Prémio do Qatar foi cancelado, após a corrida de abertura não se ter realizado.
No basquetebol, as duas principais ligas, americana e europeia, foram suspensas por tempo indeterminado, enquanto no ténis, a Associação Profissional (ATP) decidiu adiar todos os eventos do circuito masculino marcados para as próximas seis semanas.

Desportos náuticos

A selecção chinesa de canoagem encontra-se desde Novembro em Portugal, visando um estágio no Centro de Alto Rendimento da Nelo, na barragem da Aguieira, em Mortágua. O estágio terminaria em Fevereiro. Devido ao surto, a selecção ficará em Viseu até Abril.
A maratona de Tóquio, Japão, vai cingir-se apenas a atletas de elite, reduzindo assim o número de participantes de 38 mil para cerca de 200. Já a maratona de Pyongyang, Coreia do Norte, foi cancelada.  No que aos Jogos de Tóquio diz respeito, o Comité Organizador nega qualquer possibilidade de adiamento. Os torneios de qualificação de luta livre, futebol feminino, pugilismo e basquetebol foram transferidos da cidade de Xi'an, na China, para o Quirguistão. Assim vai o mundo do desporto hoje, fortemente afectado pela pandemia do Covid-19, e alguns governos já anunciaram medidas para minimizar os efeitos.

Atletas infectados

Alguns atletas também estão infectados. Dos nomes mais mediáticos sobressaem até ao momento, os de Kevin Durant, Donovan Mitchell, Rudy Gobert, todos jogadores da NBA. No futebol estão contaminados Mikel Arteta, Mangala e Garay. A lista incluiu ainda, Manolo Gabbiadini, Evangelos Marinakis, Timo Hubers, Callum Hudson-Odoi, Martín García Ortega, todos ligados ao Desporto Rei. A Juventus anunciou o segundo caso no plantel, Blaise Matuidi junta-se a Daniele Rugani.
Estádios sem público, atletas infectados, cancelamento de torneios, entre outras medidas são o cenário, no mínimo, para os próximos trinta dias. A renegociação dos contratos e a suspensão de pagamentos são questões colocadas em cima da mesa. O mundo desportivo está em “stand-by”, devido ao novo Covid-19.

Fonte: JA/BA

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo