Basquetebol

Selecção Nacional de basquetebol fora dos oitavos de final

dd

Angola perdeu ontem, por 61-92, frente à Itália, e está afastada dos oitavos-de-final da 18ª edição do Campeonato do Mundo sénior masculino de basquetebol, a decorrer na China, até 15 de Setembro.

O percalço, anunciado na véspera, embora o quisessem contrariar treinadores e atletas, relega os angolanos para a disputa com os filipinos, pela melhor classificação no grupo, onde são últimos ambos com dois pontos. 
Quatro minutos do primeiro quarto foi o tempo que durou a resistência dos comandados de William Bryant Voigt, diante dos de Meo Sachetti, em partida pontuável para a segunda jornada do Grupo D da fase preliminar.
Determinada a refazer a imagem chamuscada na estreia, a maquilhagem do "cinco" angolano teve o ponto alto no arranque. Em dois minutos ganhava por quatro zero, com pontos marcados por Yanick Moreira. 
Jogados quatro minutos a Selecção Nacional perdia por 8-11. Daí em diante, a equipa não mais se encontrou. Sem fio condutor e desnorte geral, voltou a assistir-se mais do mesmo. A postura dos angolanos fez recuar o filme de 2010, contra a Sérvia, onde tinham sido marcados apenas 22 pontos.
Ontem, ao intervalo, em 20 minutos, a selecção perdia por 21-44, indo para o balneário sem qualquer lançamento convertido em 16:54, Carlos Morais, Reggie Moore (14:20) e Olímpio Cipriano (3:38).
No reatamento, desgarrada, amorfa, sem critério e com inúmeras perdas de bola, 16 no total, os comandados de Voigt não conseguiam protagonizar jogadas de arregalar os olhos, pois tal era a previsibilidade no ataque.
A melhoria, como atesta a estatística, só foi possível mercê do abrandamento ofensivo dos italianos, cujo último encontro, para definir o primeiro lugar da série é contra a Sérvia, líder ex-aqueo com 4 pontos.
Uma equipa que se propõe chegar aos Jogos Olímpicos, e com tudo para discutir o resultado no mínimo até à entrada do quarto e derradeiro período, não pode ter percentagens demasiado baixas. Em 18 triplos tentados apenas dois convertidos (11 por cento), contra 30/12 (40 por cento), do adversário.

Fonte: JA/LD

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo