Basquetebol

Egipto e Guiné Equatorial acolhem provas africanas de basquetebol Sub-18

dd

O Egipto e a Guiné-Equatorial são os países eleitos, pela FIBA África, para organizarem os Campeonatos Africanos de Basquetebol Sub-18, em femininos e masculinos.

Em femininos, a prova na 16ª edição disputa-se de 10 a 19 de Julho deste ano, na capital egípcia, Cairo, no Estádio Indoor, e em masculinos, a 20ª acontece de 14 a 23 de Agosto, no Malabo Sports Center.
Na classe feminina, a FIBA África não faz referência aos “habitues” participantes, como são os casos de Angola, Mali, Senegal, Tunísia, RD Congo e o anfitrião, o Egipto.
Já em masculinos, as doze melhores selecções participam da prova.
O Egipto, note-se, está a regressar paulatinamente aos tempos idos, em que organizava cerca de 100 por cento das competições do calendário da FIBA África. Depois de fechar 2019 com a Taça dos Clubes Campeões sénior feminina, será o berço em 2020 do 16º Campeonato Africano Feminino Sub-18.
A outorga da organização do 16º Campeonato Africano de Sub-18 em femininos é o prenúncio do que aí vem. Trocado por miúdos, fica expresso uma maior aposta na formação, principalmente no escalão feminino, participação em todas as provas continentais e a conquista de títulos de campeões, respectivamente.
Em masculinos, os equato-guineenses estão a levar a cabo um trabalho de fomento em todos os escalões, e a realização do Campeonato Africano da categoria pode ajudar a relançar a modalidade no país.
O Mali é o país com maior número de títulos continentais da categoria, com sete, seguido pela República Democrática do Congo (2), Egipto, Senegal, Angola e Tunísia, todos com um. Em masculinos, a Nigéria é sete vezes campeã - venceu pela última vez em 2006 -, enquanto o Egito levantou o troféu cinco vezes. Angola soma quatro. O Mali é o actual detentor do troféu.

Fonte: JA/JS

 

PUBLICIDADE
voltar ao topo

o tempo